Carille cogita “levar” jogadores para Arábia e diz que Corinthians ficará bem

  • Por Jovem Pan
  • 23/05/2018 13h43
Daniel Augusto Jr/Agência CorinthiansCarille disse que vai avaliar elenco de time arábe, mas comemorou por poder contratar estrangeiros

Quando fechou contrato com o Al-Wehda, Fábio Carille não se manifestou sobre o acordo. O time da Arábia Saudita fez o anúncio oficial, depois confirmado pelo Corinthians. O técnico só se manifestou nesta quarta-feira (23), em entrevista exclusiva ao Globoesporte, e comentou sobre o futuro dele e do Timão.

Carille disse que as negociações com o Al-Wehda começaram no final de semana e avançaram rapidamente. Assim que ele enviou os contratos assinados, o clube já se apressou para fazer o anúncio, antes de devolver os papéis e comunicá-lo.

O técnico não gostou do andamento dessa parte da negociação. Mas fora isso, só fez elogios ao clube e ao futebol saudita: “dentro de três anos eles querem ter o melhor campeonato do mundo. Estão pensando em revolucionar o futebol no país, e o Al-Wehda faz parte disso. Agora, podendo levar sete jogadores estrangeiros, um goleiro mais seis de linha… Isso me cativou bastante. E um contrato até o meio de 2020”.

Carille disse que a proposta financeira foi “muito melhor do que é aqui no Brasil”, mas também afirmou que já recebeu sondagens para receber salários ainda maiores. “O projeto não me deixou tranquilo para aceitar. Essa me deixou tranquilo, por tudo o que eles estão fazendo”, elogiou ele mais uma vez.

Questionado se pretende indicar jogadores brasileiros para o time contratar, Carille cogitou: “pode ser, sim, pessoas que eu tenho confiança. Como eu já trabalhei com muitos profissionais na minha vida de Corinthians, o quanto eu também sei de outros clubes… Primeiro, eu preciso saber o que clube tem contratado para depois atacar as posições. Então é um processo tranquilo, com muita calma”, declarou ele, que já levará com ele 3 profissionais que trabalhavam na comissão técnica do Corinthians.

Sobre o Corinthians, Carille destacou que o time já está bem encaminhado nas 3 competições que disputa e elogiou o “inteligente” novo técnico, Osmar Loss, destacando que ele terá uma vantagem para se adaptar: “se não tivesse essa parada para Copa do Mundo, talvez o meu pensamento fosse difierente, talvez eu nem tivesse aberto as conversas. Mas fico muito tranquilo com a decisão. O Osmar Loss tem 35 dias para trabalhar e para projetar a volta depois da Copa”.