Carille compara queda na Sul-Americana a eliminações recentes na Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2019 00h17
HENRIQUE BARRETO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Fábio Carille amargou a eliminação do Corinthians na Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira (25), após uma semana de muitas críticas em cima do seu trabalho e da coletiva logo após a derrota para o Independiente del Valle na última semana.

Com a desclassificação na bagagem, o treinador comparou com eliminações recentes do Corinthians na Libertadores, antes mesmo dele assumir em 2017. Carille ainda admitiu que o primeiro jogo, a derrota por 2 a 0 em Itaquera, foi um diferencial neste mata-mata.

“Sim, primeiro jogo vai ficar martelando na minha cabeça. Já estou no Corinthians há 11 anos tirando os meses da Arábia. Fizemos um jogo muito mal em 2015, no Paraguai, e fomos eliminados pelo Guarani. E foram semanas muito complicadas, saída do Guerrero, saída do Emerson, Love pouco tempo no clube, mas nos ajustamos e conseguimos conquisar o Brasileirão. Depois, perdemos para o time no Uruguai em 2016, o Nacional. Foi dolorido, ano de remontagem. Saíram Love, Elias, Bruno Henrique… Temos que aprender todos os dias. Tenho um grupo experiente. Quero viagem de volta com astral legal. Agora, é virar a cabeça para o jogo contra o Vasco”, comparou Carille.

O treinador admitiu que os erros nos 90 minutos do jogo de ida culminaram com a eliminação.

“Jogos de mata-mata, diferente de pontos corridos, não te dá direito de errar. Fizemos uma partida muito mal taticamente e tecnicamente, parabenizar o adversário que propôs um jogo e conseguiu jogar muito bem na nossa casa. Nós não conseguimos. E não dá tempo muitas vezes em mata-mata, não pode errar, e a gente errou muito no primeiro jogo. Aprendizado, levantar a cabeça, trabalhar e já nos preparar para domingo”