Conselheiros do Corinthians questionam operação de venda de Pedrinho

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2020 22h08
ALE CABRAL/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOPedrinho foi vendido ao Benfica

Um grupo de conselheiros do Corinthians intitulado “Frente Liberdade Corinthiana” divulgou um documento questionando o presidente Andrés Sanchez sobre a operação financeira realizada para receber o valor correspondente a venda de Pedrinho ao Benfica.

O meia foi negociado com os portugueses por 20 milhões de euros, aproximadamente R$ 120 milhões, na cotação atual, sendo que era detentor de 70% dos direitos econômicos do jogador. Os outros 30% eram de Will Dantas, empresário do atleta, e o pagamento se daria em quatro parcelas.

Em nota, o grupo fez uma série de perguntas, entre elas, se “foi pedida autorização do CORI para a realização dessas operações financeiras”, se “a vinda de Yony González está ou não atrelada à venda de Pedrinho”, “quais os valores exatos envolvidos em todas as operações financeiras relacionadas ao atleta Pedrinho, incluindo custos da operação e despesas diversas” e “quais os detalhes de cada uma das operações”.

O grupo também questiona o relacionamento do clube com o empresário do jogador. “Quanto o Corinthians deve ao empresário de Pedrinho? Que tipo de acordo foi feito com o empresário de Pedrinho? E quais os termos desse acordo?”.

NO documento, a Frente afirma que “soa muito estranho esse pedido de antecipação total de valores da venda de Pedrinho feita de forma intempestiva e sem qualquer comunicação aos Conselhos e Conselheiros do Clube. Tudo isso exige explicações detalhadas. Uma operação desse vulto deve passar pela aprovação ao menos do CORI; porém, não existem informações se a autorização foi ou não solicitada”.

Em grave crise financeira – o Corinthians terminou 2019 com uma dívida de R$ 665 milhões, e sofrendo com a queda nas receitas em função da paralisação do futebol por causa da pandemia, o Corinthians fechou dois acordos envolvendo a transação de Pedrinho. Em acerto com um banco europeu, vai receber o valor das quatro parcelas de uma vez. E só precisará passar a parte destinada a Will Dantas em 2021.

* Com Estadão Conteúdo