Corinthians freia empolgação, empata com Atlético-PR e fica fora do G6

  • Por Estadão Conteúdo
  • 04/08/2018 22h52
ALE VIANNA/ELEVEN/ESTADÃO CONTEÚDOAtlético-PR e Corinthians fizeram jogo equilibrado na maior parte do tempo

Depois de três vitórias seguidas, o Corinthians diminuiu a empolgação da torcida neste sábado (4). Mesmo jogando em casa, o Timão ficou no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR, time que está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A equipe do técnico Osmar Loss jogou mal, criou poucas chances de gol e até tomou alguns sustos durante a partida.

Com isso, o Corinthians segue fora do G6, com 26 pontos, em 7º lugar. Já o Atlético-PR tem 14 e está na 18ª posição.

O Corinthians teve muitas dificuldades para criar jogadas de ataque desde o 1º tempo. Nos primeiros minutos o Timão até deu 2 sustos no goleiro Santos, mas só com chutes de fora da área, arriscados por Léo Santos e Pedrinho.

O Atlético-PR foi muito cauteloso e preferiu ficar na defesa, mas aos poucos percebeu que podia atacar e até criou um pouco de pressão. A melhor chance aconteceu aos 43min, quando Marcelo Cirino fez boa jogada na ponta esquerda, a zaga corintiana cortou o passe e, na sequência, Raphael Veiga chutou de frente para o gol, mas a bola bateu em Henrique.

Pouca coisa mudou depois do intervalo. Os 2 times continuaram com dificuldades para infiltrar nas áreas adversárias, então a solução foi chutar de fora da área. Romero deu um susto aos 9min, mas Santos defendeu. Depois foi a vez do Atlético-PR acertar dois chutes perigosos de longe, com Renan Lodi e Marcinho, mas a bola insistiu em não entrar.

Os 2 técnicos tentaram fazer mudanças no setor ofensivo, como as entradas de Mateus Vital e Araos no Corinthians e de Nikão no Atlético-PR. Mas quem realmente dava trabalho para o Corinthians era a dupla Marcelo Cirino e Renan Lodi, explorando o lado direito da defesa do Timão. Aos 32min, o atacante deu bom passe para o lateral esquerdo, que chutou forte, mas Cássio defendeu.

Nos últimos 10 minutos passou a ter mais posse de bola, mas o sistema defensivo do Atlético-PR bloqueou todas ações corintianas até o final.