Corinthians vence RB Bragantino em jogo com novo técnico na arquibancada

Vítor Pereira fez anotações durante toda a partida; resultado deixa o time corintiano isolado na liderança do Grupo A

  • Por Jovem Pan
  • 27/02/2022 13h46
ANDRÉ ANSELMO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Lance do jogo entre Corinthians e RB Bragantino Corinthians venceu o Red Bull Bragantino por 1 a 0 na Neo Química Arena

O novo técnico do Corinthians, Vítor Pereira, mal desembarcou no Brasil e já acompanhou da arquibancada a vitória de 1 a 0 do Corinthians sobre o Red Bull Bragantino neste domingo, 27, na Neo Química Arena, pelo Campeonato Paulista. O único gol da partida veio perto do fim do segundo tempo, com Gustavo Mosquito saindo do banco de reservas e marcando o gol em seu primeiro toque na bola. O resultado deixa o time corintiano isolado na liderança do Grupo A, com 17 pontos e um jogo a menos, já que o clássico contra o Palmeiras, jogo da sexta rodada, foi adiado. No compromisso do próximo sábado, contra o São Paulo, Pereira já deve comandar a equipe.

A pontuação atual deixa bem encaminhada a classificação do Corinthians para a próxima fase. Caso Inter de Limeira e Água Santa, terceiro e quarto colocados da chave, perderem seus jogos contra Palmeiras e São Paulo, respectivamente, a vaga corintiana nas quartas de final fica carimbada. O Bragantino, por sua vez, continua com 16 pontos, na liderança do Grupo D. Depois de escalar um time alternativo no empate com o Botafogo-SP, na rodada passada, Lázaro mandou o quinteto Paulinho, Giuliano, Renato, William e Guedes a campo entre os 11 iniciais. Prestes a substituir o interino no comando, Vítor Pereira, munido de papel e caneta na arquibancada, rabiscava suas impressões desde os primeiros instantes de jogo.

Mesmo com o forte calor que fazia em Itaquera, os dois times mostraram disposição e boa condição física para travar uma disputa intensa. Cada time teve seu momento de brilho no ataque, e tanto Cássio quanto Cleiton, em seu 100º jogo pelo time do interior de São Paulo, viveram situações nas quais precisaram intervir com boas defesas para evitar que o zero saísse do placar. O Corinthians finalizou mais vezes, mas o Bragantino teve melhor pontaria, portanto o goleiro corintiano foi mais exigido do que o adversário. Enquanto o time da casa conseguia criar suas jogadas em lances individuais, originados da inteligência de Renato Augusto ou da velocidade de Willian pela esquerda, Pereira escrevia anotações continuamente.

Da arquibancada, o português viu os novos comandados demonstrarem aspectos táticos positivos em alguns momentos, como a pressão que forçou erros na saída de bola do Red Bull. Ao mesmo tempo, observava um adversário muito organizado, com um padrão mais definido na hora da criação ofensiva. A intensidade da etapa inicial não foi mantida no segundo tempo, que até começou com certa velocidade nas ações, mas logo teve uma queda brusca de ritmo. O calor, por sua vez, só aumentava. De qualquer forma, houve espaço para que os dois times conseguissem criar oportunidades pontuais.

Após uma parada técnica em razão do clima, aproveitada por Barbieri para trocar Ytalo e Leandrinho por Alerrandro e Bruno Tubarão, o Corinthians recuperou um pouco de fôlego e quase abriu o placar em uma finalização de Róger Guedes que não parou na rede por um milagre de Cleiton. No minuto seguinte, Lázaro resolveu tirar o extenuado Giuliano para colocar Gustavo Mosquito, que abriu o placar aos 34 minutos, em seu primeiro toque na bola. No lance, o atacante ficou com o rebote após Cleiton espalmar finalização de Willian e acertou a trave, mas a bola bateu nele e foi para o gol. Na comemoração, subiu na arquibancada e recebeu amarelo. O Red Bull deu algum trabalho nos instantes finais, mas não conseguiu empatar.