Ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez revela pedido de Lula antes da construção da Neo Química Arena 

Deputado federal pelo PT entre 2014 e 2018, o ex-mandatário também refutou a história de que o petista ‘deu’ o estádio para o Timão por torcer para o clube

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2022 10h21
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians Andres Sánchez é ex-presidente do Corinthians Andres Sánchez é ex-presidente do Corinthians

Responsável pelo pontapé inicial na construção na Neo Química Arena, o ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez revelou que conversou com Lula, ex-presidente do Brasil, antes do início das obras em Itaquera, bairro localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo. De acordo com o antigo mandatário do Timão, o único pedido do petista foi que o novo estádio não fosse construído no lugar do Pacaembu. “Primeiro que eu não coloco ele como bandido. Eu fui deputado pelo partido dele. É meu amigo. Vou votar nele e trabalhar para ele. A única coisa que ele fez é ter falado comigo: ‘vai ter um estádio? Não faz no Pacaembu‘”, iniciou Andrés, em entrevista ao podcast “De Lavada”, na noite da última segunda-feira, 16.

Deputado federal pelo PT entre 2014 e 2018, Andrés Sanchez também refutou a história de que Lula “deu” o estádio para o Corinthians por torcer para o clube do Parque São Jorge. “Ele falou para fazer o estádio lá em Itaquera. Alguns falam que ele deu o estádio de presente [por ser corintiano], mas agora temos que pagar a tal da dívida. Ué, como assim? Ele só me ajudou falando para não fazer o estádio no Pacaembu. Só. Aliás, o único estádio sem corrupção do país é o do Corinthians”, completou o ex-presidente da equipe paulista.

De acordo com o ex-líder do Alvinegro, o estádio está sendo pago pelo clube e o problema da dívida está resolvido. “O estádio custou R$ 800 milhões e já pagamos quase R$ 200 milhões. Você põe a Neo Química na parada, já quita mais uma parte, e o resto vamos pagar em 17 anos. São de R$ 15 milhões a R$ 17 milhões por ano”, confirmou Andres. A negociação entre Caixa, Corinthians e Odebrecht está bem encaminhada e nas próximas semanas o Duilio [atual presidente] vai anunciar o acordo e mostrar tudo certinho. É uma coisa que eu falo há cinco anos e que tiram o sarro da minha cara. Está acertado há muitos anos, só não colocou no papel, mas o problema está resolvido”, arrematou.