Guaraní-PAR treina pênaltis antes de pegar o Corinthians pela Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2020 11h44 - Atualizado em 11/02/2020 11h45
Reprodução/GuaraníGuaraní fez o seu último treino no Paraguai antes de pegar o Corinthians

O Guaraní realizou, na manhã desta terça-feira (11), o seu último treino em solo paraguaio antes de embarcar rumo a São Paulo, onde tem compromisso marcado contra o Corinthians, amanhã (12), às 21h30, em duelo decisivo válido pela 2ª fase da Libertadores, na Arena, em Itaquera.

De acordo com o diário “ABC Color”, tradicional jornal do país, o time comandado por Gustavo Costas treinou penalidades ao término da atividade no Centro de Treinamento do clube.

Na programação do Guaraní, o time chega hoje na capital paulista e vai direto para o estádio do Timão na intenção de reconhecer o gramado antes do duelo eliminatório.

A vaga para a 3ª fase poderá ser disputada através dos pênaltis caso o Corinthians vença os paraguaios por 1 a 0 – resultado conseguido pelo Guaraní na semana passada, em Assunção. 

Desta forma, para avançar no tempo normal, Alvinegro precisará vencer por 2 gols de diferença. Para a partida, a tendência é que o técnico promova algumas mudanças na equipe, como a entrada de Lucas Piton na vaga de Sidcley. 

Guaraní vive boa fase

A missão do Corinthians não será nada fácil na Arena. Isto, porque o adversário vive excelente fase na temporada 2020, contabilizando 6 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota até o momento.

Na Libertadores, a equipe aurinegra bateu o San José, da Bolívia, duas vezes (1 a 0 fora de casa e 4 a 0 no Paraguai), além de ter conquistado a importante vantagem sobre os corintianos.

Já no Paraguaio, o Guaraní empatou com o San Lorenzo na rodada inicial, mas bateu Cerro Porteño, 12 de Octubre e Olímpia na sequência.

O último triunfo, diante do Olímpia, no entanto, poderá ser anulado pelo Tribunal Desportivo do Paraguai. Isto, porque o treinador Gustavo Costas colocou seis estrangeiros em campo ao mesmo tempo, algo proibido pelo regulamento do torneio – o máximo são cinco atletas de fora do país.