Polêmicas com VAR chamam atenção, mas corintianos sabem que isso não justifica derrota

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2018 08h27
Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians Jadson fez gol após pênalti polêmico

O sistema de vídeo arbitragem (VAR) virou o grande protagonista da final da Copa do Brasil. O juiz resolveu utilizá-lo em lances importantes e tomou decisões polêmicas. Mas nem mesmo os corintianos, derrotados pelo Cruzeiro na decisão, apontaram isso como justificativa pelo mau resultado.

Foram duas polêmicas: primeiro o juiz marcou um pênalti para o Corinthians, mas só depois que viu o lance na TV. Thiago Neves deu um carrinho na área, houve um toque e Ralf caiu. A questão é se o toque foi suficiente para derrubar o volante. O outro lance terminou com gol de Pedrinho, mas antes houve um contato entre Jadson e Dedé, que o juiz não viu como falta inicialmente, mas depois mudou de decisão.

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, que é contra o VAR, apenas disse que os lances são interpretativos e preferiu criticar o árbitro pelo uso excessivo de cartões amarelos: “Se tem o VAR para interpretação, não é para ter. Não adianta. Já fui prejudicado e beneficiado, futebol é assim. Infelizmente temos que conviver e aprender a viver com isso. Mas ninguém deu tanto amarelo como ele, como gostou de dar amarelo”.

O atacante Pedrinho, que teve um gol anulado após utilização do VAR, elogiou o sistema: “O VAR sempre ajuda o bom futebol. Infelizmente atrapalhou o Corinthians, mas se foi a decisão correta, segue o jogo”.

Já o técnico Jair Ventura praticamente não falou de arbitragem e preferiu assumir a responsabilidade pela derrota: “A gente sabe que, quando não ganha, a responsabilidade é do treinador. Não vou fugir dela”.