Sheik desmente notícias sobre atrasos e comenta protesto de torcedores em despedida no Corinthians

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2019 15h14
SÃO PAULO, SP - 04.07.2012: LIBERTADORES/CORINTHIANS x BOCA - Emerson, do Corinthians, comemora após marcar gol na partida contra o Boca Juniors, válida pela final da Taça Libertadores da América 2012, realizada no estádio do Pacaembu, na zona oeste da capital paulista, nesta quarta-feira. (Foto: Mário Angelo/Sigmapress/Folhapress)Emerson Sheik comemora um de seus gols do título do Corinthians na Libertadores 2012

Emerson Sheik se despediu na tarde desta terça-feira (5) da coordenação de futebol do Corinthians, durante entrevista coletiva. O ex-jogador foi anunciado no cargo no dia 3 de janeiro. Dez meses depois, se deixou a diretoria alvinegra.

Ao lado de Duílio Monteiro Alves, Emerson Sheik oficializou seu pedido de demissão do cargo de coordenador de futebol do Corinthians. Com uma história marcante dentro de campo com a camisa alvinegra, Sheik não conseguiu repetir o mesmo trabalho nos bastidores.

O ex-jogador desmentiu algumas informações que surgiram na imprensa sobre eventuais atrasos e cobranças desproporcionais ao elenco.

“Futebol tem uma cultura de que alguém tem que pagar a conta. Ouvi coisas sobre meu nome e isso me irritou bastante, pois tenho uma história linda no Corinthians como atleta. Tudo que saiu não foi verdadeiro. Posso garantir isso. Duílio está aqui. Se não, nem viria. Foram histórias criadas sei lá por quem. Chegou um ponto que torcedor veio ao CT pedindo minha saída. Entendi que já não estava colaborando mais”, iniciou.

O agora ex-cartola tratou as notícias envolvendo seu nome nos últimos dias como “informações completamente erradas”.

“Eu era um dos primeiros a chegar. São informações completamente erradas. Tem que buscar a verdade, não é justo, pessoas têm família. Não adianta dizer que chegou bêbado, as pessoas têm família. Não é legal, não é bacana. Talvez se eu tivesse aproximação maior, não sei… Mas fica um apelo para checar a informação. Me incomodou. São pessoas sérias e comprometidas com o Corinthians. O que saiu, não é verdade. Não fiz. Me incomodou as cobranças da torcida com faixas. Fiz o que pude, sempre fui próximo do Duílio, Andrés e Fábio. Tentávamos arranjar jeito das coisas melhorarem. Tentei ajudar e não conseguir. Não quero atrapalhar. Uma vez que as pessoas criam essas situações, vejo que minha presença não vai agregar, então prefiro me retirar”.

“A ideia de vir aqui hoje é para agradecer não só os 11 meses de participação na diretoria do Corinthians que, para mim, é a maior do Brasil, mas também para agradecer o encerramento da minha carreira e na sequência assumir um cargo tão desejado. Agradecer ao Duílio e ao Andrés, carinho imenso. Agradecer ao Corinthians, ao torcedor corintiano. Obviamente, imaginávamos que seria um tempo maior, mas não foi assim. Saio deixando amigos, pela porta da frente. Só não dá para ficar nesse vai e volta toda hora. Foi uma baita experiência. 11 meses como coordenador de futebol certamente aprendi mais do que como jogador de futebol em duas décadas. Saio com experiência maior, projetos novos, desejando tudo de melhor para o clube sempre. Tenho carinho especial. Fica meus mais sinceros agradecimentos”, concluiu