Torcida LGBT pede às demais organizadas do Corinthians o fim da homofobia a partir do Majestoso

Na semana do Dia Internacional contra a Homofobia, a uniformizada do Timão alertou para os cânticos preconceituosos que acontecem no estádio do clube

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2022 15h44
MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Torcida do Corinthians Torcida do Corinthians fazendo a festa na Neo Química Arena

O Coletivo Fiel LGBT emitiu um comunicado nesta sexta-feira, 20, para pedir que as torcidas organizadas do Corinthians deixem de entoar cânticos homofóbicos a partir do próximo domingo, 22, quando o time de Vitor Pereira recebe o São Paulo, na Neo Química Arena, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Na semana do Dia Internacional contra a Homofobia, a uniformizada do Timão alertou para os gritos preconceituosos que acontecem no estádio do clube – com certa frequência, parte da torcida do Alvinegro chama os rivais são-paulinos de “Bicha”, por exemplo.

Confira o texto na íntegra:

Carta aberta do Coletivo Fiel LGBT para as torcidas organizadas Gaviões da Fiel, Camisa 12, Estopim da Fiel, Coringão Chopp, Fiel Macabra e Pavilhão Nove.

Nos últimos anos muitas coisas tem passado por processos de mudanças, as vozes contra o preconceito estão se levantando. Nosso pedido para vocês é apenas um: a partir do próximo jogo, levante a voz pelo fim da homofobia. Vamos ao estádio ou onde quer que seja, torcer para o Timão, respeitando o próximo, empurrando o time sem cometer crimes, que são prejudiciais a quem pratica, a quem sofre e para o nosso clube. Nosso dever é elevar o nome do Sport Clube Corinthians Paulista. Foi com esse propósito que vocês nasceram, e com esse propósito que protagonizam um show nas arquibancadas. Aceitem nosso apelo de maneira amistosa. “O ventre das mazelas sociais ante ao preconceito vai se libertar.”