Veja o que Edenilson, Rafael Ramos, Inter e Corinthians falaram sobre suposto caso de racismo no Beira-Rio

Corintiano afirma que não falou a palavra ‘macaco’, como denunciou o adversário; português foi liberado pela polícia após pagar fiança

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2022 13h47 - Atualizado em 15/05/2022 16h05
MAX PEIXOTO/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO - 14/05/2022 Cercado pro atletas de Corinthians e Inter, Edenilson encara Rafael Ramos Edenilson discute com Rafael Ramos após acusá-lo de tê-lo chamado de "macaco"

O meio-campista Edenilson, do Internacional, acusou o lateral-direito Rafael Ramos, do Corinthians, de tê-lo chamado de “macaco” durante disputa de bola no segundo tempo do duelo entre os dois times no Beira-Rio, no sábado, 14. A partida ficou parada por cinco minutos e o árbitro Bráulio da Silva Machado relatou as duas versões na súmula. O atleta colorado afirma que o oponente disse “f***-se, macaco”. O português alega que saiu da sua boca a expressão “f**-se, ca***ho”. Após a partida, Edenilson fez uma queixa-crime. Segundo o delegado Carlos Vitarelli, da Polícia Civil, Ramos foi preso em flagrante e liberado após pagar fiança no valor de R$ 10 mil.

No final da noite, Edenilson foi ao Instagram e reafirmou a acusação. “Eu sei o que eu ouvi. Realmente eu, provavelmente, não reagi da forma que deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo e me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol”, disse o meia. “Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal todos erramos e temos direito de admitir. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, o procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir.” O Internacional se solidarizou com seu jogador e lamentou “mais um lamentável caso de racismo” no futebol brasileiro. “Desta vez, em nossa casa, contra um jogador do Inter. É inadmissível que ainda ocorram fatos desse tipo em 2022, não há espaço para o racismo em nossa sociedade. O Clube do Povo reitera que repudia todo e qualquer ato de preconceito e apoia o seu atleta.”

O atleta português também usou a internet para dar sua versão. Ele sustenta que não usou a palavra macaco durante a discussão com Edenilson. “Há muitas poucas coisas nas nossas vidas de que temos certezas. Uma delas é essa: não fui, não sou e nunca serei racista”, disse Rafael Ramos. “Graças a Deus me educaram com a plena consciência de que todos somos iguais nesta vida, com os mesmos direitos e os mesmos deveres.” Ele expressa em seu comunicado o desejo que este episódio contribua para a luta contra o racismo seja novamente levantada.

Com largo histórico de lutas sociais durante seus 111 anos de história, o Corinthians destacou que “não compactua com o racismo”, mas não emitiu nenhum juízo de valor sobre o caso. “O atleta Rafael Ramos foi ouvido pelo clube e deu versão diferente do incidente no Beira-Rio. Logo depois, seguro de que não proferiu injúria racial, fez questão de se explicar a Edenilson, no vestiário do Internacional. Em decorrência da denúncia feita pelo atleta colorado, a lei obriga que se trate o caso como flagrante, seguido de detenção”, relatou o clube, ressaltando, porém, que o pagamento de fiança não implica admissão de culpa. O Timão afirma que continuará colaborando com as autoridades, assim como o atleta.

Confira os comunicados de atletas e jogadores: