Del Nero se defende e diz que foi absurdo ser banido do futebol pela Fifa

  • Por Rodrigo Viga / Jovem Pan
  • 27/04/2018 11h26 - Atualizado em 27/04/2018 14h34
Lucas Figueiredo/CBFMarco Polo Del Nero está na lista de procurados da Interpol e não sai do Brasil desde maio de 2015

O presidente afastado da CBF, Marco Polo De Nero, classificou como um grande absurdo a decisão da FIFA de bani-lo do futebol, anunciada nesta sexta-feira (27).

Del Nero foi acusado de envolvimento com uma esquema de propina no futebol. “Foi uma grande absurdo e vamos recorrer”, disse ele ao telefone da Rádio Jovem Pan.

Del Nero já tinha sido afastado preventivamente pela FIFA e a punição foi prorrogada recentemente, antes da decisão pelo banimento.

Segundo Del Nero, a notícia foi recebida com surpresa e não há provas ou elementos que comprovem participação no esquema de propinas no futebol. Ele afirmou que tem plena convicção de que comprovará inocência.

Na semana passada , clubes e federações elegeram com um ano de antecedência o diretor executivo Rogério Caboclo como futuro presidente da entidade. Ele assumirá só em 2019. Na ausência de Del Nero, o vice-presidente, Coronel Nunes, continuará como presidente interino.