Empresa informa que Figueirense vai abandonar a Série B, mas clube nega

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2019 12h51
DivulgaçãoPresidente do Figueirense negou desistência

A crise financeira vivida pelo Figueirense faz o clube passar por mais uma situação constrangedora. A Elephant, empresa que comandava o time de Florianópolis, comunicou a CBF que a equipe iria abandonar a Série B do Campeonato Brasileiro devido ao excesso de dívidas. A diretoria do time catarinense agiu rápido e assegurou que não pretende abrir mão da competição.

De acordo com o Figueirense, houve uma rescisão com a Elephant, na última sexta-feira. A empresa administrava o clube desde 2017, mas a crise financeira fez com que o acordo fosse rompido. Atualmente, o time acumula um total de R$ 120 milhões em dívidas, de acordo com o último balanço divulgado, mas já é sabido que o número é ainda maior, já que funcionários e jogadores estão processando o clube por falta de pagamento.

O presidente da Elephant, Cláudio Honigman, chegou a protocolar um pedido de abandono da Série B junto à CBF. Mas a diretoria do Figueirense, que é comandada interinamente por Chiquinho de Assis, garante ter provas de que a empresa não pode mais falar em nome do clube.

“Em virtude da divulgação de notícias de que o Sr. Cláudio Honigman teria comunicado à CBF que o Figueirense abandonaria a Série B do Campeonato Brasileiro, comunicamos a todos, desde já, que na data de ontem (23/09/2019) foi proferida decisão judicial decretando-se a ineficácia de todos os atos por ele praticados na gestão do clube a partir das 18h30 do dia 20/09/2019, incluindo-se aí referida comunicação de abandono. Além disso, restou determinado ao Sr. Cláudio Honigman que entregue à Associação Figueirense, imediatamente, todos os documentos e senhas que tenha relacionadas ao clube, sob pena de multa diária Os ofícios de comunicação da decisão à Federação Catarinense de Futebol e à Confederação Brasileira de Futebol já foram expedidos e estão pendentes de cumprimento por Oficial de Justiça. Reafirmamos o nosso compromisso com a torcida alvinegra de que o clube seguirá sua retomada, a iniciar pelo jogo de hoje (terça-feira), às 21h30, contra o Bragantino (sic)”, disse Chiquinho de Assis, através de uma nota oficial divulgada pelo Figueirense.

De acordo com Chiquinho, a empresa aceitou a rescisão contratual sem custos, mas no dia seguinte exigiu pelo menos R$ 3 milhões de multa. O fato é que o pedido de afastamento foi recebido pela CBF e ela deve encaminhar o caso para o STJD. Caso o documento seja considerado válido, o clube pode sofrer punições, além, claro, de deixar a competição.

Pelo regulamento da CBF, em seu artigo 61, se uma equipe abandonar uma competição ficará automaticamente suspensa durante dois anos de qualquer outra competição coordenada pela entidade, que diz que entende-se como abandono aquele clube que desistir de disputar uma competição após a publicação oficial da tabela e regulamento correspondente do prazo legal estipulado pelo EDT.

  • Com informações do Estadão Conteúdo