Evo Morales, ex-presidente da Bolívia, critica fala de Tite e recupera frase de Maradona

O treinador da seleção brasileira afirmou ser ‘desumano’ jogar na altitude de La Paz, onde o Brasil enfrenta os bolivianos na noite desta terça-feira, 29

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2022 17h58 - Atualizado em 29/03/2022 18h14
EFE Evo Morales é ex-presidente da Bolívia Evo Morales é ex-presidente da Bolívia

Presidente da Bolívia de 2006 a 2019, Evo Morales foi mais um que repudiou a declaração de Tite, treinador da seleção brasileira, que afirmou ser “desumano” jogar na altitude de La Paz, onde o Brasil enfrenta os bolivianos na noite desta terça-feira, 29, pelas Eliminatórias – a bola rola a partir das 20h30 (de Brasília). Em sua conta no Twitter, o ex-mandatário lembrou que milhões de pessoas vivem na capital boliviana e recuperou uma frase de Diego Armando Maradona sobre o tema. “Repudiamos que Tite, técnico do Brasil, diga que é ‘desumano’ jogar futebol em um lugar onde vivem milhões de pessoas. A grandeza se reconhece nas palavras, por isso lembramos do maior, Diego Armando Maradona, que disse ‘você tem que jogar onde você nasceu, irmãos'”, escreveu.

Mais cedo, o ex-jogador Marco Etcheverry, um dos maiores ídolos da história do futebol da Bolívia, chegou a chamar Tite de “covarde” por sua opinião. “Tomara que façam quatro gols pelas desculpas que estão colocando. Não quero dizer outras palavras porque pensarão que são discriminatórias, mas me parece que Tite é um covarde. Ficar falando de altitude quando eles já estão classificados para a Copa… me parece muito covarde. Isso me incomodou muito, não o havia escutado antes. Tite é um covarde”, afirmou Etcheverry em entrevista ao “Futbolmanía”, veículo boliviano.

As críticas têm relação com a entrevista coletiva concedida por Tite na última segunda-feira, 28, quando o treinador afirmou que a seleção brasileira não conseguiria imprimir o mesmo ritmo na altitude de La Paz, cidade localizada a 3.600 metros acima do nível do mar. “[Contra a Bolívia] não teremos um time tão vertical como temos sido nos últimos jogos porque não permite. É desumano, não há essa condição. Existem outras estratégias, de manutenção de posse de bola. Tomara que o gramado esteja bom. Mas não vamos conseguir colocar o mesmo ritmo e velocidade que temos nos jogos em casa ou em condições normais”, disse o treinador brasileiro.