Flamengo oficializa renovação com Jorge Jesus até junho de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2020 18h08 - Atualizado em 05/06/2020 18h09
Alexandre Vidal/FlamengoFlamengo anunciou a renovação com Jorge Jesus

Jorge Jesus oficializou sua renovação com o Flamengo até junho de 2021. O contrato foi assinado nesta sexta-fiera, e o treinador afirmou que o aspecto competitivo pesou mais que o financeiro na decisão.

“Se estou em um lugar que me faz feliz, esse é o fator número 1 da minha escolha. Estou à procura de felicidades desportivas e isso é o que me motiva. O Flamengo e qualquer clube só é grande quando tem uma enorme nação. Quando cheguei ao Brasil, já tinham dito que era um dos maiores clubes do mundo em termos de torcedores. Hoje, felizmente, passado um ano, cada vez mais estamos nos tornando maiores também no campo desportivo. E a nação faz parte dessa grandiosidade”, disse o treinador.

O treinador não esconde a meta de faturar o título do Mundial de Clubes pelo Flamengo. “Nossa convicção é exatamente a mesma que tivemos no ano passado, e se possível, por a cereja no bolo, que ficou atravessado na garganta, que foi ser campeão do mundo. Vamos trabalhar para poder estar na final do Mundial de Clubes, que foi um dos objetivos que não conseguimos”.

Na assinatura do contrato, estavam presentes o presidente Rodolfo Landim, o vice-presidente de futebol Marcos Braz, e do diretor executivo Bruno Spindel. Landim destacou que a renovação significa o cumprimento de mais uma meta para o ano.

“Estamos muito felizes em comunicar oficialmente a renovação de contrato com o Jorge. Os jogadores estão muito felizes com essa notícia da permanência dele e de toda comissão técnica. E principalmente a Nação Rubro-negra, que estava esperando por essa boa notícia. Eu sei que a gente está muito feliz. Cumprimos uma etapa importantíssima do processo de planejamento do futebol esse ano”, disse o dirigente.

O atual vínculo se encerraria no próximo dia 20, e a renovação demorou a acontecer, embora Jesus sempre fizesse vários elogios ao clube e aos seus gestores. Mas haviam fatores que provocavam impasse, como a desvalorização do real, já que a negociação era em euro, que foram solucionadas.

* Com Estadão Conteúdo