Quê? Premier League volta com 1º erro de tecnologia em 9 mil jogos

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2020 17h05 - Atualizado em 17/06/2020 17h33
ReproduçãoGoleiro Nyland, do Aston Villa, entra no gol com bola e tudo em lance que a arbitragem mandou seguir

Um gol fantasma que inexplicavelmente não foi validado pela arbitragem se tornou o destaque do empate por 0 a 0 entre Aston Villa e Sheffield United, nesta quarta-feira, em Birmingham, naquela que foi a primeira partida do Campeonato Inglês após dois meses e meio de paralisação devido à pandemia do novo coronavírus.

O Inglês foi retomado com um jogo morno, mas marcado por uma polêmica que vai deixá-lo como motivo de discussão por um bom tempo. Aos 42min da etapa inicial, Norwood cobrou falta, e a bola passou pelo goleiro Nyland, que ainda a agarrou, mas claramente dentro do gol.

Os jogadores do Sheffield correram para comemorar, mas o árbitro Michael Oliver apontou para o punho para dizer que não houve gol e que a partida deveria continuar. O gesto foi feito para indicar que, como não chegou em seu relógio uma notificação de que a bola havia cruzado a linha de meta, o placar continuava 0 a 0.

O problema, no entanto, é que houve um erro no sistema Hawk-Eye (Olho de Falcão, em inglês), utilizado pela Premier League em lances desse tipo desde a temporada 2013/14. Após o jogo, a empresa responsável pela ferramenta divulgou uma nota em que admitiu a falha e explicou por que ele foi cometida.

Segundo a Hawk-Eye Innovations, os árbitros não receberam o aviso de que a bola entrou porque as sete câmeras que alimentam o sistema foram obstruídas no lance pelo goleiro, defensores e traves – algo que nunca havia acontecido em mais de 9 mil partidas.

O VAR poderia ter sido acionado para solucionar o erro, é verdade, mas isso não aconteceu porque, segundo a organização da Premier League, a recomendação é para que os árbitros confiem 100% no Hawk-Eye. De acordo com a liga, se um gol fosse validado pelo sistema, o juiz também não iria ao vídeo confirmar se a bola havia entrado ou não. Daí o motivo da não-utilização do VAR.

Com o resultado, o Villa, que teve o volante Douglas Luiz, ex-Vasco, entre os titulares, continua na penúltima posição da Premier League, com 26 pontos, enquanto o Sheffield subiu para sexto, com 44.

Goleiro Nyland, do Aston Villa, entra no gol com bola e tudo

*Com informações da Agência EFE