Após 30 anos, comandante da polícia na operação da Tragédia de Hillsborough é inocentado

Tragédia de Hillsborough, em 1989, causou a morte de 96 pessoas no jogo entre Nottingham Forest e Liverpool

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2019 17h58
Reprodução/BBCA Tragédia de Hillsborough, em 1989, vitimou 96 pessoas

O comandante de polícia David Duckenfield, responsável pela operação de segurança do jogo entre Nottingham Forest e Liverpool, em 15 de abril de 1989, na cidade de Sheffield, foi considerado inocente pela tragédia que causou a morte de 96 pessoas. A sentença foi dada pelo Tribunal de Preston, após um julgamento de seis semanas.

Duckenfield, de 75 anos, foi acusado de homicídio e negligência grave há dois anos, junto com outros cinco policiais, pelas mortes de 95 pessoas durante a partida no estádio Hillsborough, válida pelas semifinais da Copa da Inglaterra.

Devido a mudanças na lei britânica, o oficial não pôde ser acusado de homicídio culposo pela 96ª vítima, Tony Bland, porque morreu quatro anos após a tragédia.

O caso foi reaberto 21 anos após o veredito original de 1991, que declarou as mortes como acidentais. A pressão das famílias das vítimas levou à reabertura do julgamento, apoiada por uma comissão de inquérito independente que concluiu que a polícia britânica tinha sido diretamente responsável pelo que aconteceu.

Pai de um dos mortos, Barry Devonside disse à BBC que ficou “chocado e comovido” com a decisão do júri. “Lutamos durante 30 anos em vão”, lamentou.

*Com EFE