De volta à Argentina, River Plate comemora título da Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 24/12/2018 08h07
EFETorcida compareceu em peso para recepcionar o River Plate

Após se sagrar campeão da Libertadores contra o Boca Juniors, em Madri, e sua participação decepcionante no Mundial de Clubes da Fifa nos Emirados Árabes Unidos, o time do River Plate retornou à Argentina e comemorou com seus torcedores no estádio Monumental de Nuñez.

Depois de aterrissar no aeroporto de Ezeiza, o novo campeão da América percorreu pouco mais de 30 quilômetros até chegar ao seu estádio para comemorar a quarta Libertadores de sua história.

Com muito público no percurso, os jogadores e o corpo técnico viveram uma tarde-noite de sonho que permitiu coroar um ano onde o River, além disso, ganhou a Supercopa argentina, também após vencer o Boca na final.

“Estou aqui para comemorar o triunfo da Libertadores histórica e para agradecer a este time por esta alegria que nunca vamos esquecer. Depois de conseguir o título contra o Boca teria sido fantástico ganhar o Mundial de Clubes, mas nada atrapalha esta alegria”, afirmou Nicolás, em entrevista para a Agência EFE.

Com mais de 60 mil torcedores, os jogadores desfilaram por um tapete vermelho na qual os mais aplaudidos foram Ignacio Scocco, Gonzalo Martínez, Jonatan Maidana, Lucas Pratto e Leonardo Ponzio.

No entanto, a maior ovação foi para Marcelo Gallardo, técnico e mentor deste elenco que somou uma nova conquista internacional a seu histórico pessoal e para a centenária história do clube ‘milionário’.

Após exibir o troféu, os que tomaram a palavra foram o capitão Leonardo Ponzio, o meio-campo Gonzalo Martínez e o técnico Marcelo Gallardo.

“Obrigado por estar aqui, obrigado por nos apoiar, por nos aguentar e por nos encorajar, por todo o amor recebido nestes anos. É uma grande emoção sentir o que sinto neste momento, é uma grande emoção para compartilhar com este grupo de jogadores”, enfatizou Gallardo.

“Há três anos, quando ganhamos a Libertadores de 2015, foi um sonho que se tornou realidade. Disse, de coração, que agradecia e que íamos conseguir mais. Não somente conseguimos, mas ganhamos a final mais sonhada do mundo, não vamos esquecer jamais e vai ficar em nossos corações para sempre”, concluiu o técnico.

Gonzalo Martínez recriou o terceiro gol marcado na final da Libertadores, para delírio de todos os torcedores presentes.

A volta olímpica e uma festa de fogos de artifício marcou o final da festa de fim de ano do River por sua quarta conquista da Libertadores, atrasada por sua participação no Mundial de Clubes, onde acabou em terceiro lugar depois de ser derrotado pelo Al Ain nos pênaltis por 5 a 4 e vencer depois o Kashima Antlers por 4 a 1.

*Com informações da Agência EFE.