Decepcionado, City avisa que irá recorrer de decisão: ‘Caso iniciado, processado e julgado pela Uefa’

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2020 16h08 - Atualizado em 14/02/2020 16h17
Lynne Cameron/EFEJogadores do Manchester City em ação pelo Campeonato Inglês

Minutos depois da Uefa comunicar que o Manchester City foi banido da Champions League e de todas as outras competições europeias, o clube britânico se manifestou dizendo que estava decepcionado, mas não surpreso com as punições. Em nota, a agremiação afirmou que o caso deveria ser investigado e julgado de maneira imparcial, algo que não teria acontecido. Por isso, os mandatários decidiram que irão recorrer para tentar reverter a decisão.

As punições devem-se ao fato da agremiação inglesa ter violado regras do “Fairplay Financeiro” da instituição máxima de futebol da Europa entre 2012 e 2016.

Veja a nota abaixo:

“O Manchester City está decepcionado, mas não surpreso com o anúncio de hoje da Câmara Adjudicatória da UEFA. O clube sempre antecipou a necessidade final de procurar um órgão e um processo independentes para considerar imparcialmente o conjunto abrangente de evidências irrefutáveis ​​em apoio à sua posição”

Em dezembro de 2018, o Investigador Chefe da UEFA previu publicamente o resultado e a sanção que ele pretendia entregar ao Manchester City, antes mesmo de começar qualquer investigação. O subsequente processo da UEFA, imperfeito e vazado, que ele supervisionou, fez com que houvesse pouca dúvida no resultado que ele iria entregar. O clube reclamou formalmente ao órgão disciplinar da UEFA, uma reclamação que foi validada por uma decisão do CAS.

“Simplificando, este é um caso iniciado pela UEFA, processado pela UEFA e julgado pela UEFA. Com esse processo prejudicial encerrado, o Clube adotará um julgamento imparcial o mais rápido possível e, portanto, em primeira instância, iniciará os procedimentos com o Tribunal de Arbitragem do Esporte na primeira oportunidade”, encerrou.