Escândalo do futebol belga: juiz, agentes e até esposa de jogador estão na prisão

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2018 14h28
EFEFutebol belga teve ótimo momento na Copa do Mundo, mas agora vive um escândalo

Nove pessoas estão presas na Bélgica por causa do escândalo que explodiu no futebol local recentemente. Os detidos são acusados principalmente de lavagem de dinheiro. São 4 agentes, a esposa de um jogador, dois diretores, um árbitro e um advogado.

Os juízes da cidade de Tongeren interrogaram durante uma noite todos os detidos pelo caso, já que foram presos na manhã de quarta-feira (10), e com isso iria expirar o período de 48 horas em que poderiam ficar sob custódia. De fato, foi necessário recorrer a um terceiro juiz como reforço, informou o jornal “Belga”.

Depois dos interrogatórios, os juízes ordenaram que permaneçam presos os agentes Karim Mejjati e Mogi Bayat, assim como o ex-advogado do Anderlecht, Laurent Denis, os três acusados de lavagem de dinheiro, mas não de manipulação ou corrupção, segundo seus advogados.

Também deve permanecer preso Dejan Veljkovic, acusado de envolvimento em uma organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção, segundo informou seu advogado de defesa. Além disso, a esposa dele também deve seguir detida por ordem do juiz.

Os juízes também confirmaram que o diretor-financeiro do KV Malinas, Thierry Steemans, e o coproprietário do clube, Olivier Somers, suspeitos de terem tentado influenciar em certas partidas da equipe na temporada passada.

Por último, também deve permanecer preso o árbitro Bart Vertenten, acusado de participação em uma organização criminosa e corrupção.

A investigação por suposto fraude no futebol belga tornou-se pública na última quarta-feira e envolve um total de nove clubes do país: RSC Anderlecht, Club Brugge, KRC Genk, KV Kortrijk, FC Malines, KV Oostende, KSC Lokeren, KAA Gent e o Standard de Liège.

Ao todo, foram sequestradas pela justiça bens e contas bancárias, que geraram arrecadação de 3,6 milhões de euros (R$ 15,5 milhões).

De acordo com as investigações até o momento, os principais envolvidos seriam os agentes Dejan Veljkovic e Mogi Bayat, um dos mais influentes do futebol belga, que teriam liderado uma trama financeira, comissões ocultas e manipulado a transferência de jogadores.

Com EFE