Fifa cobra na justiça R$ 8,3 milhões de Blatter e Platini

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2019 11h31
EFEJoseph Blatter foi presidente da Fifa entre 1998 e 2015.

A Fifa anunciou nesta segunda-feira (16) que entrou com uma ação judicial contra o ex-presidente da entidade Joseph Blatter e o ex-vice-presidente Michel Platini cobrando 2 milhões de francos suíços (R$ 8,3 milhões) pagos ao dirigente e ex-jogador francês em fevereiro de 2011.

A entrada no processo é uma resposta à resolução unânime recentemente adotada pelo Comitê de Governança da Fifa, segundo o qual a entidade foi obrigada a tentar recuperar o dinheiro pago ilegalmente por Blatter a Platini.

No caso de uma reclamação bem sucedida frente aos tribunais suíços, a Fifa se compromete a utilizar os fundos recuperados, com os juros correspondentes, para o desenvolvimento do futebol. “É onde o dinheiro deveria ter sido gasto”, afirma o memorando do comitê.

Blatter aprovou no dia 18 de janeiro de 2011, quando era presidente da federação, o pagamento a Platini. O dinheiro caiu na conta bancária do ex-jogador em 1º de fevereiro, de acordo com a entidade.

O Comitê de Governança informou que, após investigação pelos órgãos judiciais independentes da Fifa, foi concluído que o pagamento não tinha qualquer base contratual, nem por escrito nem oralmente, e que era considerado um presente ilícito e um pagamento indevido contrário ao código de ética da organização.

O órgão de administração da federação, presidido pelo juiz indiano Mukul Mudgal, levou em conta na sua recomendação que, desde que a Procuradoria-Geral da República da Suíça (OAG) anunciou, em 24 de setembro de 2015, o início de uma investigação criminal sobre o pagamento, nenhuma decisão foi emitida. O comitê afirmou que não espera que isso aconteça em breve.

Com isso, entendeu que o passo mais adequado é iniciar um processo judicial para recuperar o dinheiro e, ao mesmo tempo, apresentar reclamações contra os dois.

O pagamento a Platini em 2011, pelo trabalho que o francês fez entre 1999 e 2002, quando era conselheiro da entidade, foi a razão pela qual o Comitê de Ética da Fifa os suspendeu em outubro de 2015. A punição foi primeiramente provisória, por 90 dias, e depois por oito anos.

Posteriormente, em fevereiro de 2016, o Comitê de Recurso reduziu as penalidades para seis anos, e Platini obteve uma redução para quatro na Corte Arbitral do Esporte (CAS), órgão ao qual Blatter não recorreu.

*Com informações da EFE