Flamengo teria sucesso mesmo sem Jorge Jesus, diz ex-santista Felipe Anderson

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2020 10h19 - Atualizado em 03/01/2020 10h20
Alexandre Vidal, Marcelo Cortes & Paula Reis / FlamengoJorge Jesus é treinador do Flamengo

Felipe Anderson está no “Velho Continente” desde 2013, foi comandado por diversos treinadores europeus e reconhece a importância dos estrangeiros no  futebol brasileiro. O atual meio-campista do West Ham, no entanto, não atribui o sucesso do Flamengo na temporada 2019 exclusivamente a Jorge Jesus.

Em entrevista à patrocinadora “Betway”, o armador revelado pelo Santos afirmou que o time rubro-negro seria campeão da Libertadores e do Brasileirão mesmo sem a chegada do português Jorge Jesus.

“A gente sempre fala que o time tem que ser um conjunto de tudo. E tudo fluiu bem. Difícil falar que se um jogador ou um treinador não viesse, seria diferente.  Mas creio que o elenco do Flamengo é muito forte, creio que ganharia, mas poderia ter um pouco mais de dificuldade pelo fato de ser difícil tantos jogadores bons se encaixarem. Ele conseguiu fazer isso muito rápido. Mas creio que teria sucesso pelo elenco que tem, pelos jogadores experientes que o Flamengo tem”, disse o meia de 26 anos.

Titular incontestável no West Ham, Felipe Anderson encara como positiva a contratação de treinadores estrangeiros pelos clubes do Brasil. O atleta, inclusive, citou o caso de Jorge Sampaoli, responsável por bom trabalho no Santos na temporada passada.

“Eu creio que o técnico brasileiro é muito bom, muito inteligente, sabem lidar com os jovens. Os europeus também são muito bons, até pelo ritmo, pela forma de lidar, mais rígidos no extracampo. Creio que essa filosofia pode ser, sim, adotada no Brasil, pelo fato de somar forças. Isso vai ajudar o Brasil, o futebol brasileiro e os jovens, como o Flamengo passou a ser espelho. O Santos também. Eu torço para o Santos, acompanho e teve o exemplo do Sampaoli, que com a intensidade levou o Santos a uma classificação incrível no Campeonato Brasileiro. Então é importante estar aberto a novos estilos, aceitar e estar feliz com isso”, analisou.

Por fim, Felipe também falou sobre a possibilidade de voltar a vestir as cores da seleção brasileira. Convocado por Tite no início do ano passado, ele participou do amistoso diante do Panamá, que terminou empatado em 1 a 1, em março.

“Todo jogador gosta de jogar nos níveis mais altos, e comigo não é diferente. Se tiver a oportunidade de novo, será muito bom. Tenho essa motivação de fazer o melhor, de ter constância nos jogos e estar bem com o time também. Isso é importante para estar na seleção. Eu sei disso, tenho trabalhado para melhorar e creio que essa hora vai chegar, sim”, finalizou.

Peça-chave no West Ham, Felipe Anderson soma 20 partidas na temporada, com 1 gol marcado e 5 cinco assistências. A sua equipe, porém, ocupa apenas a 16ª posição da Premier League.