Ministro diz que futebol na Espanha não deve voltar antes de 21 de junho

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2020 15h09
JuanJo Martín/EFELionel Messi nunca esteve tão perto de deixar o Barcelona como agora

O ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, disse neste domingo (26) que os espanhóis não deveriam ter expectativa pela volta das partidas de futebol antes do verão na Europa, que tem início no dia 21 de junho. Ele se mostrou preocupado com o possível retorno das competições em breve.

“Seria imprudente da minha parte dizer agora que o futebol profissional estará de volta antes do verão”, afirmou Salvador Illa em um pronunciamento feito neste domingo. “Continuaremos a monitorar a evolução (do vírus) e as diretrizes que apresentaremos indicarão como diferentes atividades podem retornar a uma nova normalidade”, pontuou.

A Espanha está sem futebol desde 12 de março, dois dias antes de o governo adotar medidas de bloqueio como forma de conter o avanço da Covid-19. A doença deixou mais de 23 mil mortos no país, que chegou a ser o epicentro da pandemia no mundo e é, atualmente, o segundo com mais casos, atrás apenas dos Estados Unidos. O confinamento rigoroso no território espanhol foi prorrogado até 9 de maio.

LaLiga, responsável pela primeira e segunda divisões do Campeonato Espanhol, já havia dito que o torneio não seria retomado antes do fim de maio, e o prefeito de Madri, José Luiz Martinez-Almeida, assegurou arenas vazias na capital ao menos até o fim do verão.

As autoridades de saúde do governo, lideradas por Illa, têm a palavra final para autorizar o retorno de atividades esportivas que reúnam grupos de pessoas e apresentem um risco coletivo de contágio.

Illa também pareceu diminuir as expectativas de que os jogadores de futebol fossem testados para o vírus, já que a liga espanhola quer que sejam realizados exames nos atletas diariamente assim que os treinamentos forem retomados.

“Existe uma ordem ministerial em vigor para todos os diferentes grupos, incluindo o futebol profissional”, disse Illa. “Os testes devem ser colocados à disposição das autoridades regionais, independentemente do tipo de teste. E caberá a eles decidir. Nós devemos ter uma estratégia comum. Todos nós devemos seguir na mesma direção”, acrescentou.

Clubes e entidades apararam arestas e têm mantido conversas com o objetivo de traçar um plano para o retorno do futebol. No entanto, ainda não há sequer um cronograma definido para o reinício dos treinamentos. Alguns jogadores também criticaram o plano da liga de testá-los devido à escassez de testes para a população espanhola e também porque os exames não são recomendados pelas autoridades para pessoas que não apresentam sintomas da doença.

*Com informações do Estadão Conteúdo