Libertadores terá jogo com arbitragem 100% feminina pela primeira vez

Na partida entre Defensa y Justicia e Independiente del Valle, a brasileira Edina Alves Batista será a juíza principal, sendo auxiliada pela compatriota Neuza Back e pela chilena Cindy Nahuelcoy

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2021 14h17 - Atualizado em 21/05/2021 15h09
Reprodução/FifaEdina Alves Batista é uma das principais árbitras brasileiras

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) definiu nesta sexta-feira, 21, a escala de arbitragem da última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. Nela, a entidade deu um passo histórico para as mulheres no esporte. Pela primeira vez, uma partida da principal competição entre clubes da América do Sul terá todo o comando feminino. Na partida entre Defensa y Justicia (ARG) e Independiente del Valle (EQU), a brasileira Edina Alves Batista será a juíza principal, sendo auxiliada pela compatriota Neuza Back e pela chilena Cindy Nahuelcoy. María Belén Carvajal, também do Chile, será a quarta árbitra, enquanto Sabrina Lois, da Argentina, será a árbitra assessora.

O confronto, válido pelo Grupo A e marcado para acontecer na Argentina, é extremamente importante para o Independiente del Valle, que não tem chances de classificação para as oitavas de final da Libertadores, mas sonha em manter a terceira posição, que dá vaga ao mata-mata da Copa Sul-Americana. O Defensa y Justicia, por sua vez, já tem a segunda posição da chave assegurada e, com 8 pontos somados até o momento, não tem mais a possibilidade de alcançar o Palmeiras, líder com 12 pontos.