Liverpool vence o Arsenal de virada e segue 100% no Campeonato Inglês

Time de Klopp divide a ponta com Leicester e Everton, todos com nove pontos

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2020 19h12
EFE/EPA/Jason CairndruffRobertson foi um dos protagonistas da partida ao falhar no gol do rival e, em seguida, se redimir com o gol da virada

O Liverpool virou sobre o Arsenal e garantiu mais uma vitória em clássicos neste início de temporada no Campeonato Inglês. Após bater o Chelsea, o time de Klopp superou o rival por 3 a 1, nesta segunda-feira, em casa. O lateral Robertson foi um dos protagonistas da partida ao falhar no gol do rival e, em seguida, por ter se redimido com o gol da virada.

Com sua terceira vitória em três jogos, o Liverpool manteve o aproveitamento de 100% e já desponta entre os primeiros colocados da tabela. Os atuais campeões dividem a ponta com o Leicester City e o Everton, todos com nove pontos. O Leicester, que goleou o Manchester City no domingo, ocupa o primeiro lugar, por ter melhor saldo de gols. Já o Arsenal soma seis pontos.

Nesta segunda, o clássico inglês foi dominado pelo time da casa no Anfield. Ao fim do primeiro tempo, os anfitriões chegaram a registrar 73% de posse de bola. O Liverpool terminou a partida com 21 finalizações, contra apenas quatro dos visitantes. Na etapa inicial, a primeira boa chance foi do Liverpool. Aos 20, Alexander Arnold acertou forte chute de fora da área, a bola desviou na zaga e carimbou o travessão. Na sequência, aos 24, na primeira chance do Arsenal, Robertson pegou mal, desviou para trás dentro da área e deixou Lacazette, então impedido, em posição regular para desviar para o gol: 1 a 0.

O empate veio aos três minutos depois, num lance protagonizado pelo trio de ataque. Firmino iniciou a jogada, Salah finalizou da direita e Mané aproveitou o rebote do goleiro para escorar para as redes. Em seguida, aos 33, Arnold cruzou da direita, Mané desviou de cabeça e Robertson aproveitou a sobra, para marcar, decretar a virada do Liverpool no placar e se redimir do erro no gol do Arsenal.

* Com Estadão Conteúdo