Malcom sofre racismo pela própria torcida em sua estreia pelo Zenit

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2019 14h31
Divulgação/ZenitMalcom

O brasileiro Malcom sofreu um caso de racismo em sua estreia pelo Zenit, da Rússia, no último sábado (3). No momento em que o atacante recém-contratado entrou em campo, torcedores do próprio clube levantaram uma faixa contra o ex-corintiano. A informação foi divulgada pela imprensa russa e repercutida mundialmente.

“Obrigado aos diretores por respeitarem nossas tradições”, dizia a faixa dos torcedores do Zenit. A mensagem era uma ironia com relação aos dirigentes do clube

Um grupo de torcedores do Zenit chegou a publicar há algum tempo uma carta aberta contra atletas negros e gays para manter as “tradições do clube.

“Não somos racistas, mas para nós a ausência de futebolistas negros no plantel do Zenit é uma importante tradição que reforça a identidade do clube. Somos a equipe mais ao norte das grandes cidades europeias e nunca tivemos vínculos com a África, a América Latina, Austrália ou Oceania. Não temos nada contra habitantes destes continentes, mas queremos que joguem no Zenit atletas afinados com a mentalidade e o espírito da equipe”.

Outros dois brasileiros já sofreram casos de racismo da torcida do Zenit. Hulk, um dos maiores nomes da história do clube, em 2015, afirmou em entrevista ao The Guardian que em “quase todos os jogos” ouvia gritos de macaco. O lateral-esquerdo Roberto Carlos, pentacampeão mundial, quando passou pelo futebol russo, jogando no Anzhi, também sofreu racismo de torcedores do Zenit. Chegaram a mostrar uma banana para o brasileiro. O caso aconteceu em 2011 e o clube foi multado pela Federação Russa de Futebol.

Malcom entrou em campo aos 27 do segundo tempo, no empate em 1 a 1 do Zenit contra o Krasnodar, pela 4ª rodada do Campeonato Russo. O novo time do brasileiro é o atual campeão do torneio e já lidera a atual edição, com 10 pontos.

Malcom foi contratado pelo clube russo junto ao Barcelona por 40 milhões de euros, na última semana. Em contato com à Jovem Pan, a assessoria de Malcom informou que ainda não tem um posicionamento oficial do jogador sobre o caso.