Presidente da Uefa: ‘O futebol com torcedores voltará em breve’

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2020 09h37
Reprodução/UefaAleksander Ceferin é o presidente da UEFA

Presidente da Uefa, Aleksander Ceferin demonstrou otimismo ao falar sobre o retorno do futebol na Europa em meio à pandemia de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Segundo o mandatário da entidade que rege o esporte no “Velho Continente”, o mundo da bola voltará ao “normal” em breve.

“É uma situação séria, mas está caindo agora e estamos sendo mais cautelosos. Sabemos mais sobre o vírus e, em geral, sou uma pessoa otimista. Não gosto dessa visão apocalíptica de que temos que esperar pela segunda e terceira ondas ou até uma quinta onda de contágio… Pessoas que você conhece provavelmente morrerão um dia, mas precisamos nos preocupar hoje? Acho que não. Estamos prontos e seguiremos as recomendações das autoridades, mas tenho certeza absoluta, pessoalmente, de que o bom e velho futebol com os fãs voltará muito em breve”, afirmou Ceferin, em entrevista ao jornal “The Guardian”.

O chefe da Uefa não acredita que o mundo será totalmente diferente após a pandemia. “Eu não acho que nada vai mudar para sempre. É uma experiência nova e, quando nos livrarmos desse vírus sangrento, as coisas voltarão ao normal. O futebol não mudou após a Segunda Guerra Mundial, nem a Primeira Guerra Mundial, e também não será alterado por causa de um vírus”, cravou.

“As pessoas disseram muitas vezes que o mundo não será o mesmo depois … isso pode ser verdade, mas meu ponto de vista é por que não pensar que o mundo será melhor após esse vírus? Por que não pensar que seremos mais inteligentes ou finalmente entenderemos como somos frágeis e desprotegidos em relação à natureza? Portanto, sempre há lições a serem aprendidas”, continuou.

Ceferin, entretanto, admitiu estar tenso com a situação vivida pela entidade durante a crise provocada pela Covid-19. Segundo o esloveno, ele passou dias sem dormir por conta do período turbulento.

“Ainda há muito trabalho a ser feito. Há tanta informação [para absorver] e tantos problemas de calendário – e tantos milhões e milhões, dezenas de milhões de dólares, que perderemos. É então difícil adormecer à noite. Você seria completamente irresponsável se pudesse adormecer imediatamente após um dia assim. A situação da Uefa não é tão alarmante, não estamos em uma situação perigosa, mas ainda nos preocupamos com os clubes, as ligas e as partes interessadas, por isso é muito trabalho”, comentou.

O presidente da Uefa, por outro lado, garantiu que a Eurocopa, que estava agendada para ser 2020, será realizada no ano que vem, conforme anunciado no mês passado. “Eu não acho que esse vírus vai durar para sempre. Eu acho que isso vai mudar mais cedo do que muitos pensam.”