Presidente do Barcelona encerra polêmica sobre futuro de Messi e descarta Neymar

Josep Maria Bartomeu afirmou que craque argentino irá encerrar a carreira no clube e negou recontratar brasileiro devido ao menor poder financeiro do Barça

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2020 08h19 - Atualizado em 07/07/2020 08h21
EFE/JuanJo MartínO atacante Lionel Messi durante partida entre Barcelona e Mallorca

Em campo, o Barcelona luta contra o Real Madrid pelo título do Campeonato Espanhol e ainda está vivo na Liga dos Campeões da Europa. Fora dele, os bastidores estão agitados com especulações sobre o futuro do craque argentino Lionel Messi e uma possível volta do atacante brasileiro Neymar. O presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, tratou de acabar com qualquer boato sobre os assuntos.

De acordo com o dirigente, o argentino já revelou o seu desejo de encerrar a carreira no clube catalão. “Não vou dar detalhes das negociações, mas ele já disse várias vezes que quer acabar a carreira no Barça. Agora estamos concentrados no fim do campeonato e temos negociações com muitos jogadores. Messi quer continuar no Barça e quer acabar aqui. Ainda tem muitos anos para jogar”, afirmou Bartomeu em entrevista à rádio espanhola RAC 1.

Messi é o principal jogador do Campeonato Espanhol nesta temporada. O argentino é o artilheiro da competição, com 22 gols em 29 jogos, e também foi quem deu mais assistências, com 19.

Sobre Neymar, que deixou o Barcelona em 2017 para se transferir ao Paris Saint-Germain e estaria disposto a voltar para a Espanha, Bartomeu negou qualquer possibilidade da transação acontecer. A justificativa é a situação difícil dos clubes europeus para grandes investimentos neste momento por conta da pandemia do novo coronavírus. “Tal operação é improvável porque a situação de todos os clubes da Europa é muito difícil”.

Outro assunto que tem deixado o dirigente preocupado é o VAR no Campeonato Espanhol. Para ele, tem havido erros na aplicação do árbitro de vídeo, especialmente em jogos do Real Madrid. “A aplicação do VAR não é totalmente justa desde o postCovid. Mas não digo isso porque digo. O mundo inteiro do futebol vê isso. Os árbitros precisam ser ajudados cada vez mais. Sou totalmente a favor do VAR porque espero que a justiça seja feita”, disse.

*Com Estadão Conteúdo