Time de Ronaldo Fenômeno diz não aceitar rebaixamento no ‘tapetão’

  • Por Jovem Pan
  • 13/06/2019 09h11 - Atualizado em 13/06/2019 15h02
Reprodução ValladolidRonaldo Fenômeno é dono de 51% das ações do Valladolid, clube da primeira divisão espanhola

Presidido por Ronaldo Fênomeno, o Valladolid divulgou um comunicado oficial nesta quinta-feira (13) comentando o caso de uma suposta manipulação de resultados. Além de explicar quais meios legais o clube irá tomar, a publicação atacou o Girona, equipe que pede o rebaixamento do rival.

De acordo com o Valladolid, os catalães estão se baseando em “recortes de notícias feitas pela imprensa”. Desta forma, a instituição diz que “não permitirá que seus resultados esportivos, legitimamente obtidos na temporada 2018/19, sejam questionados.”

Na semana passada, conforme informações do jornal El Mundo, gravações telefônicas comprovaram que 7 jogadores do Valladolid foram comprados na fabricação do resultado da partida entre a equipe e o Valencia, na última rodada do Campeonato Espanhol.

Rebaixado para a Segunda Divisão, o Girona foi ao Tribunal de Instrução 5, em Huesca, para solicitar a abertura de um arquivo ao Comitê de Competição da Federação Espanhola de Futebol. O clube alega que o Valladolid deveria ser punido com seis pontos. Assim, as posições seriam invertidas na tabela.

O Girona terminou o nacional na 18ª posição, com 37 pontos. Com quatro a mais, o Valladolid se livrou da degola, encerrando a sua participação na 16ª colocação.

Veja o comunicado na íntegra:

1. O Real Valladolid Club de Fútbol não permitirá que seus resultados esportivos, legitimamente obtidos na temporada 2018/2019, sejam questionados, o que confirma sua permanência na Primeira Divisão.

2. O clube rejeita a imputação de fatos tão preocupantes, que são objetos de queixa do Girona FC SAD, apoiado por recortes de notícias feitas pelas imprensa, onde não houve qualquer envolvimento pelo Real Valladolid Football Club nem direta, nem indiretamente.

3. O Clube possui um Programa de Compliance, devidamente auditado, que inclui uma série de medidas para prevenir ações ilícitas e, assim, preservar a integridade da competição, de acordo com as diretrizes estabelecidas pela LaLiga e pela RFEF.

4. O Clube apresentará as alegações pertinentes dentro dos prazos legais estabelecidos, tendo em vista as evidências registradas no Arquivo do Instrutor.

5. O Clube mostra o seu máximo respeito aos procedimentos judiciais que continuam em sigilo, bem como ao processamento do Arquivo Disciplinar do qual fomos transferidos.

6. O Clube se sente muito prejudicado e não permitirá que sua imagem, reputação, os interesses de seus sócios e fãs e sua atividade sejam corroídos. Em consonância com esta ideia, o Clube aguarda a confirmação pelo Tribunal de Instrução nº 5 de Huesca da personificação desta entidade como lesada no caso.

7. O Clube se reserva o direito de exercer ações legais contra terceiros para a proteção de seus interesses.