Valcke e presidente do PSG serão investigados pela Fifa em caso de corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2020 18h35
EFEEx-secretário Geral da Fifa, Valcke está banido do futebol até 2028

A justiça suíça anunciou nesta terça-feira que Nasser Al-Khelaifi, presidente do Paris Saint-Germain, e Jérôme Valcke, ex-secretario-geral da Fifa, serão julgados por um suposto caso de corrupção envolvendo a compra dos direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030.

Os dois executivos e mais uma terceira pessoa, que não teve seu nome divulgado, são acusados de corrupção passiva, gestão desleal e instigação a gestão desleal e falsificação de documentos.

O catariano – dono da emissora beIN Sports e um dos homens mais ricos do mundo, é acusado de ter concedido vantagens a Valcke em troca da distribuição de direitos de transmissão no Oriente Médio.

Valcke foi suspenso de seu cargo na Fifa em 2015 por suspeita de corrupção. Em 2016, recebeu uma nova punição de 45 dias, e posteriormente foi demitido da entidade, sendo banido do futebol até 2028. O francês foi investigado por descumprir diversos códigos da Fifa, como lealdade, confidencialidade, conflitos de interesses e aceitação de presentes e outros benefícios não permitidos.