Inter leva multa, escapa de gancho e ganha elogios no STJD

  • Por Estadão Conteúdo
  • 28/07/2017 16h45
Torcida do Inter entrou em confronto com a Brigada Militar, no empate contra o Criciúma, no entorno do Beira-Rio

O Internacional escapou de sofrer uma dura punição no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), nesta sexta-feira, por causa da confusão protagonizada por sua torcida no Beira-Rio, ao fim do empate por 1 a 1 com o Criciúma, no dia 8 de julho, pela Série B do Campeonato Brasileiro. O clube gaúcho foi multado em R$ 10 mil e ganhou até elogios durante o julgamento, no Rio de Janeiro.

O time corria o risco de sofrer gancho por causa da denúncia – por não prevenir e reprimir desordens em seu estádio. Poderia ter sofrido suspensão de até 10 jogos e multa de até R$ 100 mil. No entanto, foi absolvido pelos auditores do tribunal por causa das ações de controle que realizou durante e ao fim do jogo.

Responsável por representar a Procuradoria no caso, Thiago Queiroz fez elogios à gestão do clube e classificou as ações do Inter de “exemplares”. No entanto, pediu a multa de R$ 10 mil – acatada pelos auditores – por conta da conduta de um dos seguranças contratadas pelo clube.

Numa das provas de vídeo, é possível ver o segurança arremessando uma peça de madeira contra a torcida, durante a confusão. “O que me chamou a atenção é que a equipe jogou de volta um batente de madeira enorme na torcida. Não é o fato do Inter ter um sistema de segurança que pode excluir o que foi feito pelo segurança. A identificação dos torcedores é uma excludente prevista, entretanto o ‘steward’ é o clube. Se você contrata o segurança é o clube e, por essa razão, o clube tem que ser responsabilizado”, argumentou.

Sem punição de gancho, o Inter não terá problemas para receber o Goiás em casa na próxima rodada da Série B. A partida está marcada para a terça-feira que vem, pela 18ª rodada.