Investigação sobre Cruzeiro envolve lavagem de dinheiro e promessa de 12 anos

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2019 10h21 - Atualizado em 27/05/2019 12h22
Gabriel DuarteEstevão William já tem contrato de patrocínio com uma marca esportiva

A Polícia Civil de Minas Gerais investiga o Cruzeiro por causa de denúncias que envolvem lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e até um jovem de 12 anos, que é tratado como aposta no clube. As informações sobre o caso foram divulgadas pela Rede Globo, neste domingo.

Já foi instalado um inquérito para averiguar essas denúncias, que envolvem 15 pessoas e 200 páginas de contratos. A suspeita é que a diretoria cruzeirense quebrou regras da Fifa, da CBF e do governo federal em negociações de jogadores, empréstimos e pagamentos.

No caso mais grave, um empresário teria emprestado R$ 2 milhões ao Cruzeiro em 2018. Depois, o clube alegou não ter dinheiro para fazer o pagamento da dívida.. A solução, segundo a denúncia, foi ceder porcentagens de direitos econômicos de alguns jogadores, inclusive uma promessa importante do clube: Estevão William, de 12 anos, que já tem até contrato de patrocínio com uma marca esportiva, mesmo sendo tão jovem.

O Cruzeiro emitiu uma nota oficial para tentar explicar as denúncias. Porém, o principal argumento é que um pequeno grupo da oposição do clube está “plantando notícias junto a alguns profissionais da mídia nacional”.

Veja a nota oficial completa do Cruzeiro, assinada pelo presidente:

“Nação Azul,

Me dirijo a vocês para me manifestar em nome do Cruzeiro Esporte Clube, de forma antecipada e imediata, a respeito de uma matéria realizada pelo Grupo Globo, que será exibida na noite deste domingo, 26 de maio de 2019, no programa Fantástico, conforme chamada realizada pela emissora durante a exibição da partida Flamengo x Athletico.

Primeiramente, lamento que a última eleição presidencial ainda não tenha acabado para alguns indivíduos. Adversários derrotados no pleito têm insistido, nos bastidores, em tentar tumultuar o ambiente do Cruzeiro, com o auxílio de um pequeno grupo, plantando notícias junto a alguns profissionais da mídia nacional, que infelizmente têm acreditado em tais conteúdos.

Nossa gestão assumiu o Clube de forma oficial no início do ano de 2018 com a maior e mais absurda e delicada dívida de sua história. No entanto, a nossa diretoria não tem medido esforços e já vem exercendo uma política de contenção de gastos, e tem trabalhado em um grande projeto de planejamento para tentar equacionar as dívidas do Cruzeiro.

Todas as perguntas enviadas pela reportagem do Grupo Globo, nesta semana, foram prontamente respondidas aos jornalistas, dentro do prazo pedido pelos mesmos, atendendo ao deadline da matéria.

Atualmente, o Cruzeiro possui 14 conselheiros que formam uma oposição. Nós apuramos que um deles teve acesso a documentos sigilosos e os divulgou de maneira proibida para o público externo, mesmo em se tratando de registros de cunho interno, de uma entidade privada.

O intuito deste comunicado não é, em momento algum, o de atrapalhar a veiculação da reportagem prometida pela emissora para a noite deste domingo. Mas, sim, o de tranquilizar a Nação Azul, aos verdadeiros cruzeirenses, reforçando nosso compromisso de tratar as coisas do Clube com a maior transparência e responsabilidade possível, dentro e fora das quatro linhas, pois, reforço, assumimos a instituição sabendo da constrangedora situação financeira do Clube.

Reitero minha lamentação em relação ao comportamento ressentido destes alguns indivíduos que se dizem cruzeirenses, mas que, na verdade, pensam apenas em seus benefícios próprios, colocando os aspectos político e pessoal acima de qualquer sentimento em relação ao Clube.

A atual diretoria quer apenas fazer o nosso trabalho em paz e recolocar o Cruzeiro nos trilhos, consertando diversos erros, alguns que ultrapassam os limites da absurdez, cometidos pela gestão passada.

Em nome da transparência e da lisura que o Cruzeiro merece ser tratado e nossa torcida merece ser informada, decidimos nos manifestar de forma imediata.

Atenciosamente,

Wagner Pires de Sá”