Justiça rejeita denúncia por denunciação caluniosa e extorsão contra Najila Trindade

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2019 13h36 - Atualizado em 29/09/2019 13h55
SUAMY BEYDOUN/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOSP - FUTEBOL/NEYMAR/ACUSAÇÃO DE ESTUPRO/PROVAS - ESPORTES - Movimentação na chegada da modelo Najila Trindade Mendes de Souza, que acusa Neymar de estupro, que depõe na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, no bairro de Santo Amaro, zona sul da capital paulista, nesta sexta-feira (07). O advogado da modelo apresentou novas provas do crime alegado por sua cliente. 07/06/2019

A Justiça rejeitou na última sexta-feira (29) as denúncias feitas pelo Ministério público de São Paulo por denunciação caluniosa e extorsão contra Najila Trindade no caso do processo arquivado de acusação de estupro de Neymar. Por outro lado, foi acolhida a denúncia contra o modelo e seu ex-marido, Estivens Alves, por fraude processual. As informações são do Blog do Perrone, no UOL.

Najila e o ex-marido têm dez dias para recorrer sobre a decisão na acusação de falha processual. Sobre a denúncia de denunciação caluniosa e extorsão, o MP de São Paulo também pode recorrer. O órgão denuncia a modelo porque acredita que ela sabia que não havia existido estupro e agressão, e mesmo assim resolveu prestar queixa.

Segundo o blog, a juíza Andrea Coppola Brião, da 30ª Vara Criminal, argumentou que o arquivamento da denúncia de estupro aconteceu por conta da falta de provas, e não da não comprovação do crime.  A denúncia de extorsão se deu porque o primeiro advogado da modelo teria se reunido com o pai de Neymar e dito que estava disposto a resolver o caso antes de medidas judiciais. A juíza entendeu que a ação do advogado foi regular.