Marquinhos comanda defesa imbatível, mas Brasil mostra problemas no ataque

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2018 10h08
Lucas Figueiredo/CBFMarquinhos foi capitão do Brasil contra Camarões

No jogo entre Brasil e Camarões, Neymar se lesionou com apenas 7min de jogo. Ele saiu e passou a braçadeira de capitão para Marquinhos, mostrando que o zagueiro do Paris Saint-Germain realmente é uma liderança importante da Seleção neste período pós-Copa do Mundo. Ele comandou uma defesa que ficou imbatível após 6 jogos. Mas o Brasil não brilhou, principalmente por problemas no ataque.

O Brasil não tomou sequer um gol nos amistosos que disputou após a decepção na Rússia. Marquinhos foi titular em todas partidas e enfrentou alguns ataques fortes, como a dupla Cavani e Suárez, do Uruguai. E mesmo jogando ao lado de diferentes companheiros (Dedé, Thiago Silva, Miranda e Pablo), ele chamou atenção e deu conta do recado.

Marquinhos esperava ter sido titular na Copa. Virou reserva e admite que se decepcionou com isso. Mas sabe que agora será seu momento na Seleção: “É um privilégio estar jogando pela Seleção Brasileira. Trabalhei muito, lutei muito por esse momento. E o momento chegou. Estou tentando aproveitar da melhor forma”.

A defesa faz com que o Brasil seja um time seguro. Mas o ataque cria desconfiança, pois o time não encantou em nenhum momento após a Copa do Mundo. O principal problema é a criação de jogadas no meio-campo.

O principal astro, Philippe Coutinho, alternou funções, posições e ainda sofreu uma lesão. Arthur teve boas atuações e se firmou no time titular, mas também não encontrou o melhor posicionamento. A insistência de Tite em Renato Augusto e Paulinho, que não renderam bem, pode ser um problema. Mas Allan se destacou nos últimos 2 amistosos e pode conquistar as vagas deles. Tite costuma apostar também que Lucas Paquetá será uma opção importante para o setor.

Entre os atacantes, a melhor novidade é Richarlison. A tendência natural no momento é que ele se firme entre os titulares, junto com Neymar e Roberto Firmino, que ainda não renderam tudo que podem. E Tite ainda insiste em velhos conhecidos nesse setor, como Douglas Costa e Willian. A renovação no setor é esperada, mas ainda não aconteceu.