Matador! Luiz Adriano faz três e Palmeiras bate o Guaraní em casa

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2020 23h33
RÔMULO MAGALHÃES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOLuiz Adriano é o artilheiro do Palmeiras na Libertadores

O Palmeiras deu um importante passo para a sua classificação na Libertadores ao vencer o Guaraní (PAR) no Allianz Parque, nesta terça, por 3 a 1. Os pouco mais de 28 mil torcedores – público não tão grande como o esperado – viram o Verdão conquistar três valiosos pontos após uma atuação confusa no primeiro tempo, compensada por uma segunda etapa arrasadora.

Os paraguaios não surpreenderam, já que desde a pré-Libertadores mostraram que a força física e a marcação eram o cartão de visita diante de uma aparente deficiência técnica. Foi preciso uma grande movimentação do meio de campo Alviverde, que se acertou na segunda etapa com Dudu e Rony, para que Luiz Adriano brilhasse e marcasse os três gols. O jogador, que agora é o artilheiro da equipe no torneio, foi eleito pelo patrocinador como ‘Homem do Jogo’.

Ele decidiu levar a bola do jogo para casa. “Não é todo dia! A equipe está de parabéns. Quero agradecer meus companheiros que me ajudar a conseguir os três gols. Fico muito feliz, é um trabalho de equipe. Estamos trabalhando bem, fazendo grandes jogos. Tenho feito os gols, que é importante para um atacante”, disse na saída para o vestiário.

Correria e força física

O Palmeiras teve boas chances logo nos primeiros lances. Aos dois minutos, Rony fez boa jogada para Luiz Adriano, que ajeitou na medida para Dudu. O camisa 7 chegou chutando tudo, mas furou e deu a Willian a chance de finalizar. Servio fez a defesa e a bola ficou viva dentro da área – a confusão e o bate rebate não deram em nada. O goleiro defendeu uma das tentativas com o rosto, e precisou de atendimento médico para estancar o sangramento.

Com uma escalação ofensiva, o alviverde entrou inflamado em campo. O Guaraní também não se intimidou. As duas equipes protagonizaram momentos de muita movimentação e lances rápidos. Já aos 27, Rony surgiu por trás da zaga para cruzar para Ramires. O volante tentou um voleio, mas não acertou.

Sentindo as mesmas dificuldades no meio de campo que apareceram na estreia, contra o Tigre, o Verdão diversificava suas jogadas para tentar chegar ao gol. Em uma delas, com uma ligação direta, Felipe Melo inverteu para Viña, um dos destaques da equipe, que deu bom passe para Rony. Ele bateu cruzado na direção de Luis Adriano, mas o camisa 10 não alcançou.

O Guaraní usava como tática a marcação dobrada – ou triplicada – quando o Palmeiras ia ao ataque. O esquema prejudicou Dudu, que dificilmente conseguia aparecer com espaços para criar jogadas de perigo.

Os ânimos acirrados fizeram com que a primeira etapa terminasse com três cartões amarelos e muita conversa em campo. Duas advertências foram dadas para o time do Palmeiras, e uma para o Guaraní.

Rony e Dudu se soltam, Luiz Adriano se consagra

Luxemburgo optou por voltar para o segundo tempo com a mesma equipe. O Palmeiras sufocava a saída de bola do Guaraní, e usada da velocidade pelas pontas para tentar abrir o placar. Viña deu de calcanhar para Rony, mas a bela jogada resultou apenas em um escanteio. A intensidade deu resultado rápido. Na cobrança rápida de uma falta cometida por Rodrigo Fernández, Dudu recebeu e tocou por cima da marcação para finalização do oportunista Luiz Adriano.

Era a chance que o Verdão precisava. A defesa paraguaia ficou paralisada enquanto a bola passava por debaixo das pernas de Servio com destino certo. 1 a 0 para o Alviverde. O arbitro apontou para o centro do campo mesmo diante de muita reclamação dos jogadores do Guaraní. Segundo eles, o cartão amarelo para Fernández ainda estava sendo aplicado enquanto o Palmeiras colocava a bola em jogo, portanto, a partida não poderia ter seguido.

O abafa deu certo, e Rony por muito pouco não conseguiu ampliar aos 14. Após lançamento de Marcos Rocha, Luiz Adriano cruzou para o atacante na pequena área, que finalizou para fora.

A entrada de Merlini, meia que substituiu o atacante Benitez, tentou dar mais ritmo ao ataque do Guaraní, que sofria com as investidas do Verdão. Aos 17, ele recebeu na entrada da área e bateu por cima do gol, perdendo uma boa chance de igualar o placar. As alterações davam a impressão de que o treinador paraguaio sairia para o jogo em busca do empate. As modificações equilibraram o jogo, e resultaram em boas chances na bola parada, arma do Guaraní.

As esperanças paraguaias acabaram aos 27 minutos, nos pés do artilheiro do Verdão na Libertadores. Após uma tabelar com Bruno Henrique, Rony encontrou Luiz Adriano em condições na grande área. O camisa 10 bateu firme no cantinho de Servio para ampliar o placar. A consagração estava por vir. Aos 37, com uma grande assistência de Dudu, que lançou uma boa bola da linha de fundo, Luiz Adriano chegou escorando e marcou seu terceiro na partida. Hat-Trik e festa da torcida na Barra Funda!

No fim do jogo, restou ao Guaraní diminuir com Bobadilla. A defesa do Palmeiras bobeou, e o argentino recebeu de Merlini nas costas de Vinã, sem chances para Weverton.

Marca histórica

Com o resultado positivo conquistado em casa, o Palmeira chega a 100ª vitória na história da competição e assume a liderança do Grupo B. O próximo adversário do Verdão na competição é o Bolívar, na quarta-feira 18, na altitude de La Paz. Pelo Paulistão, o time pega a Inter em Limeira, no sábado, 14, às 16h30.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3 X 1 GUARANI

PALMEIRAS – Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo, Gustavo Gómez (Vitor Hugo) e Viña; Bruno Henrique, Ramires (Patrick de Paula), Dudu e Willian (Zé Rafael); Rony e Luiz Andriano. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GUARANI – Sérvio; Dávalos, Romaña, Baez e Guillermo Benítez; Ángel Benítez, Morel (Barrientos), Edgar Benítez (Merlini) e Redes; Rodrigo Fernández e Bobadilla. Técnico: Gustavo Costas.

GOL – Luiz Adriano aos oito, aos 27 e 36 minutos do segundo tempo. Bobadilla aos 42.

ÁRBITRO – Rafael Tobar (CHI).

CARTÕES AMARELOS – Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Morel, Edgar Benítez, Baez, Rodrigo Fernández e Merlini.