Cruzeiro perde para o Palmeiras e cai para a Série B do Brasileiro pela primeira vez

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2019 17h54
FERNANDO MICHEL/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDOO Cruzeiro foi rebaixado para a Série B

O Cruzeiro está rebaixado para a 2ª divisão do Campeonato Brasileiro. Neste domingo (8), o time mineiro perdeu para o Palmeiras por 2 a 0, no Mineirão, em confronto pela última rodada, e acabou amargando a primeira queda da sua história. Zé Rafael e Dudu foram os autores dos gols da partida.

Antes do apito inicial, a torcida cruzeirense chegou a cantar o “Pai Nosso”, em claro sinal de desespero com a situação do time. Em campo, no entanto, a Raposa demonstrou nervosismo durante todo o jogo, teve imensa dificuldade no setor de criação e acabou sofrendo dois duros golpes do Verdão na segunda etapa, minando a sua chance de sobreviver na Série A em 2020.

Para permanecer na elite do futebol brasileiro, o Cruzeiro também precisaria contar com uma vitória do Botafogo diante do Ceará, em jogo que aconteceu no mesmo horário. Os cariocas até chegaram a ficar à frente do placar, mas acabaram levando o empate no decorrer do duelo.

Desta forma, o Cruzeiro encerrou sua participação na 17ª posição e com 36 pontos, três a menos que o Ceará, que se livrou do descenso.

Raposa é inoperante e só comemora com gol do Botafogo

O Cruzeiro demonstrou muito nervosismo nos minutos iniciais, sem conseguir manter a posse de bola e trocar três passes em sequência. Ao mesmo tempo, aproveitando o desespero do adversário, o Palmeiras começou a partida tomando a iniciativa e quase marcou aos 2 minutos, com Léo jogando contra a própria meta, mandando para fora.

Aos 15, foi a vez de Zé Rafael ser acionado em profundidade, ganhar de Henrique e chutar cruzado, exigindo bela defesa do goleiro Fábio. Melhor no jogo, o Verdão insistiu e quase abriu o placar após cruzamento de Marcos Rocha, que passou à frente da meta, mas não foi completado.

Após muitos pedidos de “calma” do treinador Adilson Batista, a Raposa passou a ter mais o domínio da bola. A criação de jogadas, no entanto, não existiu. Na primeira etapa, o time mineiro chutou apenas 2 vezes para fora e nenhuma para o gol de Weverton, mero expectador.

À torcida do Cruzeiro, no primeiro tempo, restou comemorar o gol do Botafogo, marcado por Marcos Vinicius diante do Ceará, adversário direto na briga contra o descenso. O tento da equipe carioca serviu de esperança para a Raposa, que, naquele momento, precisava apenas da vitória para escapar da queda.

Adilson mexe no time, mas Palmeiras sai na frente  

Insatisfeito com o baixo rendimento ofensivo, Adilson Batista promoveu a entrada de Sassá na vaga de Ezequiel. Além disso, foi possível perceber um time um pouco mais adiantado no retorno do intervalo. Tanto foi assim, que o próprio camisa 99 fez Weverton praticar a sua primeira defesa aos 8 minutos. Pouco depois, foi a vez de Pedro Rocha testar o goleiro palmeirense.

O ímpeto, no entanto, foi contido aos 11 minutos. Weverton lançou da defesa para Dudu, que ganhou da marcação e tocou de calcanhar para Veiga. O meio-campista achou bem Zé Rafael, que bateu cruzado para estufar a rede e tirar o zero do marcador.

Para piorar a situação do torcedor cruzeirense, minutos depois o Ceará empatou a partida diante do Botafogo, em cobrança de pênalti convertida por Thiago Galhardo.

Abalado, Cruzeiro não produz nada e cai para a Série B

O Cruzeiro sentiu muito os golpes e não conseguiu voltar para o jogo. Visivelmente abalada, a equipe passou a errar fundamentos simples, perdendo de vez o rumo dentro do jogo. Sem esperança, parte da torcida deixou o estádio antes mesmo da partida acabar.

Sem forçar muito, o Palmeiras apenas controlou o ritmo do jogo, esperando o adversário para sair em contra-ataques. Treinador interino, Andrey Lopes voltou a dar uma oportunidade a Gabriel Veron, destaque do Alviverde paulista na vitória diante do Goiás.

No fim, o Palmeiras enterrou as chances da Raposa com Dudu, que aproveitou levantamento de Bruno Henrique para cabecear para o fundo da rede.

Confusão

Revoltados com a queda, alguns torcedores do Cruzeiro passaram a quebrar cadeiras do estádio e entraram em conflito com a PM, que atirou bombas para tentar conter parte da torcida. Por isso, o árbitro Marcelo Henrique Lima optou por paralisar a partida e, posteriormente, finalizá-la antes dos 45 minutos.

CRUZEIRO 0 X 2 PALMEIRAS

Cruzeiro: Fábio; Orejuela (Weverton), Léo, Cacá e Dodô; Henrique, Ederson e Jadson; Marquinhos Gabriel, Ezequiel (Sassá) e Pedro Rocha (Mauricio).

Treinador: Adilson Batista.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Antônio Carlos, Luan e Diogo Barbosa; Matheus Fernandes, Bruno Henrique, Lucas Lima, Raphael Veiga e Zé Rafael (Gabriel Veron); Dudu.

Treinador: Andrey Lopes.

Gols: Zé Rafael, aos 11 minutos do 2º tempo, e Dudu, aos 38 do 2º tempo  (Palmeiras)

Cartão amarelo: Zé Rafael (Palmeiras)