Deyverson vê ciclo no Palmeiras perto do fim e diz que pretende ficar na Espanha 

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2020 09h58
EFE/ JuanJo MartinDeyverson celebra gol com a camisa do Getafe

Deyverson tem contrato com o Palmeiras até 2022, mas não acredita que voltará a representar a camisa do Alviverde. Emprestado ao Getafe (Espanha) até o final da temporada europeia, o atacante afirmou que deseja continuar atuando no time espanhol.

“Quero ficar, quero ficar. O sonho de todo jogador é vir para a Europa. Vários amigos meus falam ‘me leva’. Isso é maneiro. Os caras falam que eu sou iluminado. Teve a proposta da China, não fui, comecei a cair e surgiu o Getafe me querendo, olha só. Os caras falam ‘você é iluminado'”, disse o centroavante, em entrevista à “Gazeta Esportiva”.

No acordo entre Palmeiras e Getafe, ficou definido que Deyverson seria cedido até julho. Como a pandemia paralisou o futebol, este prazo poderá ser estendido até o fim do Campeonato Espanhol. Para vender o atleta em definitivo, a diretoria palmeirense pede R$ 5,4 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões).

“Eu converso muito com Felipe Dias, que é meu empresário, e ele fala que o clube está muito feliz, que o clube pretende ficar comigo, mas, com essa parada, deu uma embolada, por causa de salários, essas coisas. Se tiver que voltar para o Palmeiras, voltarei feliz também. Mas, aqui (no Getafe) estou superfeliz, as pessoas me tratam com muito carinho. Pretendo ficar aqui”, declarou o atacante.

Por fim, Deyverson comentou que vê o seu ciclo no Verdão perto do fim. Peça-chave no título do Brasileirão de 2018, ele soma 24 gols em 120 partidas pelo clube paulista.

“Sinto que perdi espaço lá. Tenho grande respeito e carinho por todos os jogadores de lá, desde já quero mandar abraço para eles, mas sinto que meu vínculo lá, pelo fato deles terem me emprestado, sinto que está se encerrando. Jogador quando é emprestado é porque está se encerrando o vínculo com o clube”, lamentou.

“Mas, nunca se sabe. Quem sabe eu não volto para marcar outro gol de título. Eu estava esquecido lá, o Felipão chegou, eu joguei e fiz gol em quase todos os jogos. Quem diria?”, completou.