Deyverson pode ser punido pela diretoria do Palmeiras

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2019 17h49
César Graco/Agência Palmeiras/Divulgação

Expulso no clássico contra o Corinthians, no último sábado (2), ao cuspir em Richard, Deyverson vai se reunir nesta terça-feira (5) com a diretoria do Palmeiras. O objetivo do encontro é cobrar o jogador pela atitude intempestiva e, possivelmente, punir com desconto no salário.

Os colegas de elenco não gostaram da atitude do jogador, por considerá-la pesada e muito prejudicial ao time. A diretoria também reprovou Deyverson e defende que seja mais enérgico em vez de somente dar uma bronca no jogador.

Quem também ficou descontente foi o técnico Luiz Felipe Scolari. Depois de defender Deyverson em outras ocasiões e apostar no jogador, ele criticou a sua atitude. No sábado, Felipão afirmou que o atacante mereceria ser expulso três vezes pela cusparada.

A expulsão contra o Corinthians foi a quinta de Deyverson pelo Palmeiras desde a sua chegada, em julho de 2017. Em ocasiões anteriores o clube pregou calma e diálogo para conversar com o jogador. No entanto, a conversa deve ser mais dura nesta terça.

Além da bronca e do possível desconto no salário, Deyverson ainda corre o risco de desfalcar o Palmeiras em até 12 partidas do Campeonato Paulista. O cartão vermelho foi aplicado pela cusparada no adversário é uma ação tipificada no Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

“Suspensão de seis a doze partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de trinta a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código”, diz o trecho que trata do ato de “cuspir em outrem”.

Se a procuradoria do TJD denunciar Deyverson, é possível que o atacante fique de fora de todos os jogos eliminatórios do Palmeiras na competição estadual, inclusive em uma eventual decisão do torneio.

Com informações de Agência Estado