Galo de 2013 pode inspirar Palmeiras em ‘decisão’ contra o Boca Juniors na Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2018 21h15 - Atualizado em 30/10/2018 21h18
César Greco/Agência Palmeiras/DivulgaçãoLuiz Felipe Scolari observa jogadores do Palmeiras no último treino antes da partida contra o Boca Juniors

Para o sonho de conquistar o bi da Libertadores da América seguir vivo, o Palmeiras precisa reverter a vantagem conquistada pelo Boca Juniors na primeira partida das semifinais nesta quarta-feira (31), às 21h45min, no Allianz Parque. A missão é difícil, porém não impossível.

Até a atual edição da competição continental, somente dois times conseguiram reverter um 2 a 0 sofrido na ida da semifinal: o Estudiantes, da Argentina, em 1968, quando venceu o Racing por 3 a 0 após derrota por 2 a 0 na primeira partida, e o Atlético-MG, em 2013.

Na semifinal daquele ano, o Galo foi derrotado pelo Newell’s Old Boys por 2 a 0, na Argentina. Na volta, em Belo Horizonte, o time mineiro devolveu o placar e levou a disputa para os pênaltis, onde brilhou a estrela do goleiro Victor.

Em 2013, jogadores do Atlético-MG comemoram a classificação para à final da Libertadores da América

Em ambos os casos, Estudiantes e Atlético-MG foram à final da Libertadores da América e se sagraram campeões. Para seguir o mesmo caminho, o Palmeiras terá que quebrar o tabu de nunca ter vencido o Boca Juniors em jogos de mata-mata da competição continental.

Vitória alviverde por 2 a 0 leva a decisão da vaga para os pênaltis. Por diferença de mais gols, a classificação sai no tempo normal. Empate ou derrota por um gol de diferença garante a classificação do Boca Juniors.