Lesão de Guerra aumenta histórico negativo dele em momentos importantes

  • Por Jovem Pan
  • 19/04/2018 12h02
Palmeiras/DivulgaçãoGuerra fez gol contra o Botafogo nesta semana

Alejandro Guerra vivia a melhor fase dele na temporada até esta quarta-feira (18). Ele era reserva do Palmeiras, mas estava jogando bem quando saía do banco de reservas, por isso ameaçava a vaga de Lucas Lima no time inicial. Mas uma história se repetiu: o venezuelano pode virar desfalque do Verdão de novo.

O problema aconteceu no treino do Palmeiras, após uma disputa com Michel Bastos. Os dois sentiram dores e não participaram normalmente da atividade desta quinta (19). O problema de Guerra é no quadril e por isso dificilmente ele terá condições de começar jogando contra o Internacional, no domingo (22), pelo Campeonato Brasileiro.

Mas o Palmeiras já está acostumado a não contar com Guerra. Contratado como grande reforço para 2017, ele sempre precisou receber cuidados especiais para ter condições de jogo, mesmo quando estava no Atlético Nacional.

No Palmeiras a primeira lesão foi em março, depois que ele disputou um jogo pela seleção venezuelana. Com problemas no nariz e no quadril, ele ficou fora do jogo de ida das quartas de final do Campeonato Paulista, contra o Novorizontino.

Guerra se recuperou rápido, mas em junho teve mais duas lesões. Primeiro um problema na panturrilha, que o deixou fora de uma partida importante, contra o Inter, pela Copa do Brasil. Depois, no final do mês, ele sofreu uma tendinite no quadril que o tirou de três partidas.

Quando se recuperou, Guerra teve um problema pessoal grave: o filho dele, Assael Guerra, ficou internado porque se afogou na piscina de casa. O meia viajou para ficar com a família e virou desfalque por duas partidas.

A sequência de jogos só aconteceu nos dois meses seguintes, mas ele foi poupado em algumas oportunidades e também perdeu espaço no meio-campo por causa da recuperação de Moisés. E em outubro aconteceu outra lesão: Guerra sofreu uma luxação na clavícula direita e perdeu quatro partidas na reta final do Campeonato Brasileiro, quando o Palmeiras ainda sonhava com o título.

O venezuelano voltou a jogar na “decisão” contra o Corinthians, mas só teve condições de sair do banco de reservas e saiu com mais uma decepção na temporada. Por enquanto a passagem dele pelo Palmeiras tem sido marcada por momentos frustrantes como aquele.