Luxemburgo pede foco no combate à pandemia: ‘O futebol não vai mover o mundo’

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2020 13h55
ReproduçãoVanderlei Luxemburgo é o treinador do Palmeiras

Vanderlei Luxemburgo conversou, nesta quarta-feira (6), com um grupo de cerca de 20 jornalistas em uma videoconferência organizada pelo Palmeiras. Entre vários assuntos, o treinador falou sobre o esforço das autoridades em retomar os campeonatos durante a pandemia do novo coronavírus.

No entendimento de Luxemburgo, este não seria o foco no momento. “As pessoas estão muito preocupadas com o futebol, como se ele fosse mover o mundo. A preocupação de todo o brasileiro deveria ser com a pandemia. Temos que nos preocupar com o caminho que vamos tomar”, afirmou.

O elenco voltou aos treinos na última segunda-feira (4) com um formato diferente. Com a transmissão ao vivo de vídeos, preparadores físicos ministram exercícios e os jogadores precisam comprovar em tempo real que estão cumprindo as séries determinadas. Os atletas têm trabalhado nas varandas, garagens ou quintais das suas casas. O Palmeiras só vai permitir o retorno de todos ao centro de treinamento quando tiver liberação das autoridades de saúde.

Para Luxemburgo, o período difícil selou uma união mais forte dentro do elenco do Palmeiras. Nas conversas com os jogadores, o técnico afirmou que reiterou a todos o pedido para ficarem em casa e cuidarem dos filhos. “Todos demonstraram uma grande parceria com o Palmeiras e se preocuparam com os familiares também. Eu deixei claro que nesse momento, se algum filho se machucar, não vai ter vaga em hospital para serem cuidados. Esse recado foi importante”, comentou.

O comandante do Alviverde também aprovou a postura do elenco na negociação feita pelo clube para reduzir os salários dos jogadores durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o treinador, a equipe demonstrou coesão e comprovou ter uma mentalidade avançada ao compreender o momento financeiro complicado e aceitar a redução de 25% nos vencimentos.

“O Palmeiras está na frente, é vanguarda com decisões inteligentes e democráticas. Os jogadores tiveram a sensibilidade de participar do clube neste momento difícil”, opinou Luxemburgo.

“Luxemburgo explicou que, durante as últimas semanas, uma série de videoconferências entre ele, o presidente Mauricio Galiotte e os atletas propiciaram o acordo coletivo com o grupo. “Foram decisões muito democráticas e inteligentes que o Palmeiras. Os jogadores entenderam que era importante contribuírem para cedermos um pouco para um clube que nos dá tantas condições. Nada melhor do que colaborar”, disse.

*Com Estadão Conteúdo