Marcos vê Palmeiras ‘cascudo’, mas prevê sofrimento contra o Grêmio

  • Por Pedro Sciola
  • 27/08/2019 09h44
Agência EstadoMarcos, ídolo do Palmeiras, acredita na classificação do time na Libertadores

Ídolo do Palmeiras, Marcos acredita na classificação do time diante do Grêmio, em partida que será realizada nesta terça-feira (27), no Pacaembu, válida pelas quartas de final da Libertadores. Além da vantagem obtida no primeiro jogo, o ex-goleiro considera a equipe atual mais “cascuda” e preparada. Ainda assim, ele prevê um duelo sofrido e de muita dificuldade.

“A expectativa é de muito sofrimento. A gente sabe que o Grêmio é um time copeiro, acostumado com a Libertadores. Acho que o Palmeiras conseguiu fazer uma grande partida no Sul e o resultado foi muito bom. Dá uma pequena vantagem, mas o time não pode ficar se escorando nesta vantagem, principalmente por se tratar de um grande adversário. Mas a gente está com um pensamento positivo nesta classificação por causa do resultado lá. Mas sabemos que vamos ter muita dificuldade para este jogo aqui”, disse Marcos, em entrevista à Jovem Pan.

Campeão da Libertadores de 1999, Marcos acredita que o Palmeiras aprendeu com a eliminação no torneio do ano passado, quando caiu na semifinal para o Boca Juniors. Segundo o ícone do Verdão, o “baque” criou uma casca, que já está surgindo efeito na atual edição da competição sul-americana.

“Ano passado foi uma decepção muito grande. Acho que o Palmeiras era favorito, já que o Boca não estava com um time tão bom quanto o deste ano. Só que o Palmerias fez uma partida de ida, na Argentina, muito ruim. E aí não conseguiu classificar por esta partida. Toda vez que você sai derrotado, você aprende muito com isso. E eu lembro que, na ocasião, os jogadores foram muito cobrados pelas contratações que chegaram. Toda vez que você traz grandes jogadores a cobrança é maior. Então acho que isso traz uma casca grossa para que eles possam jogar de outra maneira este ano”, analisou.

“É claro que no futebol muita coisa pode acontecer, mas a gente já viu o Palmeiras na Libertadores neste ano bem mais cascudo do que no ano passado”, continuou Marcos, que participou de um evento de uma patrocinadora.

Marcos também foi questionado sobre a sequência negativa de seis jogos sem vitória do Verdão no Campeonato Brasileiro. De acordo com o ex-jogador, a oscilação dentro uma competição longa é normal e a torcida não precisa entrar em pânico.

“Este ano foi meio atípico por causa da Copa América. O Palmeiras estava bem até o meio do ano. E o fato de estar disputando duas competições importantes atrapalha um pouco. Quem consegue ter a vantagem de ter um grande elenco, acaba sendo menos punido. Mesmo assim, ter um grande elenco não te dá a certeza da vitória porque esse elenco normalmente não é o que joga junto na partida. Acho que esses altos e baixos fazem parte porque é um campeonato longo. O torcedor não precisa entrar em desespero porque tem muita coisa para acontecer pela frente”, afirmou.

“É difícil você jogar sabendo que tem que ganhar sendo que no meio da semana tem Libertadores. Tem que dividir a bola sabendo que pode ficar fora daquele jogo importante. Então dá uma atrapalhada, mas acredito que o Palmeiras tenha plenas condições de depois desta fase da Libertadores, focar no Brasileiro, arrematou.

Veja outros pontos da entrevista  

Dudu é ídolo do Palmeiras?

Todo jogador que passa pelo clube e conquista títulos tem que ser considerado, ter seu nome gravado na história. Muita gente questiona e cobra, mas tem gente que ama o Dudu. Estes questionamentos para quem está na atividade sempre vão existir, até porque o Dudu é um dos mais importantes do nosso time. Ganhou a Bola de Ouro do Brasileiro. A gente confia muito nele e sabe que ele pode resolver para o nosso lado.

Felipão de 99 x Felipão de 2019

É difícil porque eu acompanho pouco o Palmeiras hoje em dia, vejo mais pela televisão. Mas, naquela época [em 1999], o Felipão era bem rígido, bem duro. ‘Ganhou? Não fez mais do que a obrigação (risos)’. Sempre cobrou bastante. Eu acredito que ele esteja mais light hoje em dia, até porque é uma outra geração de jogadores, né?

E também ele está mais velho, mais experiente. Naquela época ele estava em busca de trilhar um sucesso profissional. E naquela Libertadores ele chegou bem acelerado porque foi contratado para isso. E o que a gente percebe nas entrevistas é que ele está mais tranquilo com o elenco. Mas cobrando dos jogadores com certeza ele está, sim.

Weverton 

“Eu também sigo o Weverton, goleiro do Palmeiras e da seleção olímpica. Fico feliz de ele assistir [aos meus vídeos]. Sempre bom acompanhar jogos de outros goleiros, né? Ele está se dando muito bem no time. Foi titular no título do Brasileiro no ano passado. Está trilhando um grande caminho na Libertadores e entrando para a história do time aí. O Palmeiras tem três grandes goleiros. Fico feliz que ele se espelhe em mim. E que ele conquiste esta Libertadores, que será bom para ele, para mim e para todos os torcedores.