Palmeiras de Felipão mostra problema antigo: nunca conseguiu vitória de virada

  • Por Jovem Pan
  • 03/04/2019 08h35
Palmeiras/ DivulgaçãoFelipão não consegue fazer o time ser mais ofensivo ou perigoso depois que toma o primeiro gol

A derrota do Palmeiras para o San Lorenzo, nesta terça-feira (2), mostrou um problema antigo do time: desde que Felipão assumiu o comando em 2018, nunca aconteceu uma vitória de virada. Mais uma vez o Verdão saiu atrás no placar, não mostrou poder de reação, caiu de rendimento e sequer buscou o empate na Copa Libertadores.

O Palmeiras de Felipão está acostumado a fazer o primeiro gol do jogo. Em 49 partidas desde agosto de 2018, isso não aconteceu apenas 11 vezes. E nestas partidas o Verdão saiu com 5 derrotas e 6 empates.

O problema é ainda mais grave em jogos de mata-mata. O Palmeiras foi eliminado duas vezes por causa disso. Na Libertadores de 2018, diante do Boca Juniors, em Buenos Aires, o Verdão levou o primeiro gol, ficou abalado e ainda tomou o segundo logo depois. Na Copa do Brasil do mesmo ano, o time tomou o primeiro gol nos 2 jogos contra o Cruzeiro. Saiu com uma derrota e um empate, então foi eliminado.

Outras 3 derrotas aconteceram quando o Palmeiras saiu atrás no placar. E também foram jogos importantes: contra o Cerro Porteño, na Libertadores, quando o Palmeiras perdeu por 1 a 0 e só avançou porque abriu vantagem maior no jogo de ida; contra o Corinthians, pelo Campeonato Paulista, no dérbi deste ano; e agora contra o San Lorenzo, jogo em que perdeu a liderança do Grupo F.

Outras 6 vezes o Palmeiras conseguiu buscar o empate, mas não teve forças para alcançar a virada: foram jogos contra Bahia (1 a 1), Cruzeiro (1 a 1), Boca Juniors (2 a 2), Atlético-MG (1 a 1), Paraná (1 a 1) e Novorizontino (1 a 1).

Esse problema acontece principalmente porque o Palmeiras de Felipão é um time essencialmente defensivo. O time sabe se fechar para não tomar o primeiro gol e, quando abre vantagem, consegue administrá-la com tranquilidade na maioria das vezes.

Porém, se essa estratégia não dá certo, o Palmeiras não sabe o que fazer. Além dos jogadores ficarem abalados e perderem a confiança, o técnico parece não ter um “plano B” bem treinado para que o time vire ofensivo e perigoso. Além disso, as substituições não costumam gerar grandes mudanças, mesmo com o elenco grandioso do Verdão.

Em competições de pontos corridos isso não é tão perigoso, pois é possível recuperar pontos perdidos nos jogos seguintes. Mas em competições de mata-mata pode virar algo muito grave, pois dificilmente o o Palmeiras terá uma segunda chance. Então Felipão precisa consertar esse problema do time para colocá-lo na briga pelo título da Copa Libertadores.