Palmeiras declara apoio a MP sobre direitos de transmissão ao time mandante

Jair Bolsonaro assinou a medida provisória há duas semanas; Maurício Galiotte, presidente do Verdão, defendeu a negociação conjunta pelos clubes de direitos individuais de transmissão

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2020 13h20
ReproduçãoMaurício Galiotte é presidente do Palmeiras e apoia a MP sobre direitos de transmissão aos times mandantes

O Palmeiras se manifestou, nesta sexta-feira (3), favoravelmente à medida provisória assinada há cerca de duas semanas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre as transmissões das partidas, dando aos clubes mandantes o direito de negociá-los. “Consideramos positiva a proposição da MP 984/2020 que determina que os direitos de imagem pertençam exclusivamente ao clube mandante”, afirmou.

Para o Palmeiras, o momento demanda um debate sobre a forma como se negocia os direitos de transmissão, até para ampliar e valorizar os acordos. O clube também defendeu a “negociação conjunta pelos clubes de direitos individuais de transmissão”. “Entendemos que é o momento para uma discussão ampla sobre a legislação que rege o mercado de direitos de transmissão no país, visando proporcionar a abertura de mercado, maior atratividade para potenciais investidores e consequente valorização do produto, com ganhos para o futebol brasileiro”, afirmou. “Apoiamos ainda a ideia de negociação conjunta pelos clubes de direitos individuais de transmissão e que tal iniciativa parta dos clubes e não de uma imposição legal”, acrescentou.

O posicionamento sobre o tema se deu através de um comunicado oficial assinado pelo presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte. E ocorreu após uma semana em que os primeiros efeitos da MP foram efetivamente sentidos. A principal movimentação se deu envolvendo o Flamengo. O time rubro-negro, que não assinou contrato com a Rede Globo para exibir as suas partidas do Campeonato Carioca, transmitiu o jogo da última quarta-feira, contra o Boavista, através do seu canal no YouTube. A ação do Flamengo levou a Globo a romper o contrato para transmissão do Estadual do Rio, comunicando que não transmitiria mais os confrontos do torneio.

A partir de 2019, o Palmeiras passou a ter seus jogos do Campeonato Brasileiro exibidos pela Turner em TV fechada, mas há um imbróglio envolvendo o acordo, com a possibilidade de rescisão. Esse tema, assim como a MP, foi abordado em reunião com Bolsonaro nesta semana. E Galiotte também tratou do assunto na nota oficial divulgada nesta sexta. “O grupo dos clubes que possuem contrato com a Turner referente aos direitos de transmissão para a TV fechada, do qual o Palmeiras faz parte, está atuando no sentido de defender seus interesses perante a referida empresa de comunicação, os quais estão diretamente relacionados com os pontos elencados acima (investimentos e múltiplos competidores)”, disse. “Na reunião com o Presidente da República e demais autoridades do Executivo e do Legislativo federais, tivemos a oportunidade de expor nosso posicionamento e preocupação com o atual cenário do futebol brasileiro e estamos convencidos de que encontramos ressonância para os nossos pleitos”, concluiu.

*Com Estadão Conteúdo