Palmeiras x Athletico-PR: Abel Ferreira terá novidade na decisão da Recopa Sul-Americana 

O Furacão, que almeja o quarto título internacional de sua história, também terá mudanças para a grande final do torneio organizado pela Conmebol

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2022 10h29 - Atualizado em 02/03/2022 10h31
GABRIEL MACHADO/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO Jailson, do Palmeiras, disputa bola com Matheus Fernandes, do Athletico-PR Palmeiras e Athletico-PR buscam título inédito da Recopa Sul-Americana nesta quarta-feira, 2

Palmeiras e Athletico-PR fazem a grande decisão da Recopa Sul-Americana na noite desta quarta-feira, 2, a partir das 21h30 (de Brasília), no Allianz Parque, em São Paulo. Após o empate em 2 a 2 no confronto de ida, na Arena da Baixada, o vencedor do duelo sairá de campo com o título inédito do torneio organizado pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Uma nova igualdade leva a final para as penalidades. Em busca de seu quarto troféu à frente do Alviverde paulista, o técnico Abel Ferreira contará com uma importante novidade para o duelo contra o Furacão. Recuperado da Covid-19, que o tirou da partida de ida, o zagueiro e capitão Gustavo Gómez voltará a vestir as cores do Palestra. Desta forma, a provável equipe palmeirense tem: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Danilo, Zé Rafael e Jailson; Dudu, Raphael Veiga e Rony.

Já o Athletico-PR, que almeja o quarto título internacional de sua história, também terá novidades. O lateral-direito Marcinho, responsável por cometer uma penalidade na primeira final da Recopa, foi demitido pelo presidente Mario Celso Petraglia e dará vaga a Khellven. Na frente, o recém-contratado Pablo deve retornar ao time, entrando no lugar de Rômulo. Assim, o conjunto paranaense terá: Santos; Khellven, Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Hugo Moura, Erick, Matheus Fernandes e Léo Cittadini; Terans e Pablo. Vale lembrar que, além da briga pela taça inédita, os dois clubes buscam uma boa bonificação da Conmebol. Isso porque o campeão embolsará 1,6 milhão de dólares (R$ 8,32 milhões, na cotação atual), enquanto o vice não fica de mão abanando, mas será premiado com 800 mil dólares (R$ 4,16 milhões).