Palmeirense reclama de homofobia no Choque-Rei e é ameaçado nas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 09/03/2018 17h45 - Atualizado em 09/03/2018 18h03
Reprodução William De Lucca se mostrou contra cantos homofóbicos no Allianz Parque

A vitória do Palmeiras sobre o São Paulo nesta quinta-feira (8), pela 11ª rodada do Campeonato Paulista, foi comemorada por todos os torcedores alviverdes. Porém, para um palmeirense a alegria não foi completa. Durante o Choque-Rei, William de Lucca se sentiu ofendido por cânticos de torcedores do Verdão contra os rivais e resolveu se manifestar nas redes sociais.

Em seu Twitter, o jornalista de 32 anos, publicou uma foto no Allianz Parque dizendo que um dos cantos da torcida palmeirense era homofóbico: “A torcida do Palmeiras, em sua homofobia típica, canta que ‘todo viado nessa terra é tricolor’. Parece que encontrei uma exceção a regra: eu mesmo, viado e palmeirense, e que cola no estádio em todos os jogos”.

A publicação logo ganhou repercussão nas redes sociais e junto dela as ofensas e ameaças contra William. Em entrevista à SporTV, o jornalista disse que está tirando print dos comentários para registar um boletim de ocorrência. “Estão dizendo que vão me matar, me bater até eu parar de falar sobre o Palmeiras, porque eu estaria ‘sujando’ o nome do time”, revelou.

Apesar da ameaça, o palmeirense garantiu que não vai desistir da luta contra a intolerância nos estádios de futebol. Em relação as acusações de que estaria “usando o Palmeiras para aparecer”, William citou que é conhecido no movimento LGBT há quase uma década e que sempre falou a respeito do tema.

“Eu sempre reclamei de homofobia da torcida, nos estádios, essa pauta sempre foi uma pauta que eu toquei desde que voltei para a cidade de São Paulo, há três anos, e passei a ir sempre no estádio. As críticas só não tinham tomado esse alcance ainda, mas esse tuíte calhou de viralizar”, conclui William de Lucca.