Por falta de quórum, TST adia julgamento de recurso do Fluminense contra Gustavo Scarpa

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2018 17h45 - Atualizado em 18/09/2018 17h48
Cesar Greco/Agência Palmeiras/DivulgaçãoGustavo Scarpa segue tratando uma lesão no calcanhar

Gustavo Scarpa que segue se recuperando de uma lesão no calcanhar, ganhou mais uns dias de tranquilidade em relação ao imbróglio com Fluminense, seu antigo clube. Nesta terça-feira (18), estava programado o julgamento do recurso impetrado pelo time carioca para derrubar o habeas corpus que o libera para defender o Palmeiras, mas a sessão marcada para acontecer no Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília, acabou sendo adiada. Motivo: falta de quórum.

Essa não é a primeira vez que o julgamento do caso é adiado. Em agosto, também houve um adiamento. Na oportunidade, o ministro Douglas Alencar Rodrigues pediu mais tempo para tomar a decisão e não deu seu voto. A sessão acabou interrompida com placar favorável para Gustavo Scarpa. Apesar de restarem mais dois votos, a tendência é a decisão final ser favorável ao jogador, que atualmente defende o Palmeiras.

A disputa entre Fluminense e Gustavo Scarpa começou em dezembro, quando o meia acionou o clube carioca na Justiça para conseguir a rescisão do contrato, ao alegar atraso salarial e dívidas trabalhistas em cerca de R$ 9 milhões. A diretoria não aceitou a baixa e tem brigado com o jogador para conseguir restabelecer o vínculo, por ter se sentido lesado com a saída do meia.

Gustavo Scarpa chegou a ter o vínculo com o Fluminense reativado durante três meses, até conseguir um habeas corpus para ser liberado e voltar a ter contrato com o Palmeiras. É exatamente este habeas corpus que o time carioca tenta derrubar. Já a equipe paulista entende que não é parte no processo. O departamento jurídico tem monitorado o caso à distância.