Sob novo comando, Palmeiras encara primeiro duelo contra o Cerro Porteño na Libertadores

  • Por EFE
  • 09/08/2018 07h32
César Greco / Agência Palmeiras / DivulgaçãoCampeão da Libertadores em 1999, Luiz Felipe Scolari volta a comandar o Palmeiras na competição nesta quinta-feira

O Palmeiras, dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores da América, vai encarar nesta quinta-feira (8) o Cerro Porteño no estádio General Pablo Rojas, agora sob o comando de Luiz Felipe Scolari, que reestreou pelo clube no último domingo (5), em empate com o América Mineiro, pelo Campeonato Brasileiro.

O duelo em Assunção é o primeiro das oitavas de final da competição continental, em que o Verdão entrou em campo seis vezes, com retrospecto de cinco cinco vitórias e um empate. Invicto no torneio, o time é o único a ter alcançado essa marca de vitórias, com direito a passar pelo Boca Juniors por 2 a 0, em plena La Bombonera.

Os bons números não foram suficientes para que Roger Machado fosse mantido, com demissão anunciada após derrota para o Fluminense por 1 a 0, no dia 25 de julho, pelo Brasileirão. Menos de 24 horas após a saída do comandante, Felipão foi apontado como sucessor, para iniciar sua terceira passagem pelo Palmeiras.

O treinador, campeão mundial com a Seleção Brasileira em 2002, estava no banco de reservas quando o clube paulista conquistou a Libertadores pela única vez na história, em 1999. Quatro anos antes, levou o Grêmio ao título continental.

Para esta quinta, no entanto, Felipão começa a jornada na tentativa de ser campeão novamente, sem duas peças importantes: o lateral-direito Marcos Rocha e o atacante Willian, ambos com problemas físicos. Mayke deverá ser a opção para o lado destro da defesa.

Já no setor ofensivo, mais incógnitas. O substituto natural do “Bigode” seria Hyoran, mas é possível que haja mudança no desenho tático, com a entrada de um meia, como Lucas Lima, ou até mesmo outro volante, como Thiago Santos.

No comando de ataque existe outra dúvida, entre o contestado colombiano Miguel Borja, titular durante boa parte da passagem de Roger Machado e que se recuperou recentemente de lesão, e Deyverson, que também não é unanimidade entre a torcida.

O Cerro Porteño, por sua vez, chega para a partida também trazendo uma boa campanha na bagagem, a quarta melhor no geral, apesar da segunda colocação no grupo 1, que foi liderado pelo Grê3mio. A equipe paraguaia venceu quatro partidas, empatou uma e perdeu outra, terminando com 13 pontos.

Assim como aconteceu com o Palmeiras, os paraguaios tiveram poucas mudanças significativas no elenco. O atacante paraguaio Jorge Benítez, que veio do Monterrey, do México, é uma das novidades, mas deve começar no banco de reservas.

O principal desfalque para o técnico argentino Luis Zubeldía é o lateral-esquerdo uruguaio Álvaro Pereira, ex-São Paulo, que sofre fratura no pé esquerdo e precisou passar por cirurgia. Com isso, o paraguaio Marcos Acosta deverá começar jogando.

Depois do jogo desta quinta em Assunção, Palmeiras e Cerro voltarão a se encontrar no dia 30 de agosto, no jogo de volta das oitavas. A partida está programada para acontecer no Allianz Parque, em São Paulo.