Título no Mundial sub-17 tem que fazer Palmeiras olhar melhor para promessas das categorias de base

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2018 11h10
DivulgaçãoPalmeiras tem jovens promissores de 15 a 20 anos

O Palmeiras conquistou o título do Mundial Sub-17 nesta quarta-feira (6) e merece elogios, principalmente porque a campanha foi impressionante. Mas não adianta conseguir esses resultados se o clube não aproveitar melhor os jogadores que forma nas categorias de base.

O Palmeiras nunca teve tradição em formar muitos jogadores de alto nível. Mas o trabalho na base melhorou desde 2014 e até resultou na revelação de Gabriel Jesus. Porém, só isso ainda é pouco.

Basta ver que atualmente no elenco atual do Palmeiras só existem 4 jogadores formados no clube: Thiago Martins, Pedrão, Victor Luis e Artur. Alguns outros, como Fernando, Papagaio e Léo Passos, fazem participações eventuais em treinos e no banco de reservas, mas também defendem o time sub-20. Estão em fase de transição ainda.

O fato do Palmeiras ter dinheiro para contratações, com receita própria e também altos investimentos da patrocinadora Crefisa, faz com que o clube não olhe com atenção para base. Em muitos casos, em vez de apostar nas pratas da casa, a diretoria opta por contratar jogadores que nem sempre rendem bem. Basta lembrar do caso de Deyverson, por exemplo, que custou R$ 10 milhões e não jogou bem até agora. Se ele não estivesse no elenco, provavelmente Fernando e Papagaio, atacantes promissores, teriam mais oportunidades.

Aconteceu algo parecido no gol do Palmeiras: o clube tinha como 3º goleiro o promissor Daniel Fuzato até o fim de 2017. Mas preferiu contratar Wéverton como aposta para o futuro e recentemente liberou o jogador mais jovem para negociações com outros clubes. Com Jailson, Fernando Prass e Wéverton no elenco, provavelmente vai demorar para que um goleiro formado no clube assuma a titularidade.

A diretoria tem acertado em relação aos zagueiros: desde que saiu Yerry Mina, o clube evitou fazer investimento em outros jogadores da posição que fossem de qualidade apenas razoável. Thiago Martins, formado na base, tem condição de apresentar esse nível e até se destacar eventualmente, como fez contra o Grêmio, nesta quarta-feira (6). Se for para contratar um zagueiro, é preciso que ele seja de nível superior. Mas até agora a diretoria não conseguiu um jogador assim.

No time sub-17, campeão mundial, a maior promessa do Palmeiras é Gabriel Veron, que foi craque e artilheiro no torneio. Mas ele tem só 15 anos e ainda é cedo para dizer que pode jogar entre os profissionais. No time sub-20 existem outros talentos mais prontos, que podem ser aproveitados em breve, como o zagueiro Vitão, o lateral Luan Cândido, volante Gabriel Furtado, o meio-campista Alan e o atacante Yan. O clube precisa ficar mais atento para aproveitar esses jogadores, pois completar a formação deles com sucesso seria mais importante do que qualquer título.