Passeio do Timão e desespero Tricolor: Veja os destaques do 1ª turno do Brasileirão

  • Por Jovem Pan
  • 07/08/2017 19h50
Em boa fase no Corinthians, Jô é o artilheiro do nacional com 11 gols; Pratto amarga seca de cinco jogos e vive calvário com o São Paulo

O primeiro turno do Campeonato Brasileiro 2017 chegou ao fim com a invencibilidade e a liderança disparada do Corinthians. A equipe de Carille somou 47 pontos e tem oito de diferença para o vice-líder Grêmio, seguido pelo Santos com 35. Além disso, o Timão também se destaca por ter o maior número de vitórias (14) e a melhor defesa com apenas nove gols sofridos.

As 19 rodadas iniciais também mostram que apenas nove técnicos sobreviveram à temida dança das cadeiras. Além disso, o Brasileirão 2017 tem sido marcado pela “festa” dos visitantes e pela dramática luta do São Paulo contra o fantasma da Série B. A Jovem Pan traz o que de melhor aconteceu na primeira metade do nacional. Confira:

Líder absoluto

Com 82,5% de aproveitamento, o Timão registrou a melhor campanha do primeiro turno em toda a história dos pontos corridos desde 2006, quando o Brasileirão passou a ser disputado com 20 clubes.

Em 2003, o Cruzeiro, campeão daquela edição, atingiu os mesmos 47 pontos, porém com 23 partidas no primeiro turno, aproveitamento de 68,1%. Desde então, o melhor desempenho nas 19 partidas iniciais pertencia ao Atlético-MG e ao Cruzeiro, que em 2012 e 2014 alcançaram 43 pontos, respectivamente. No entanto, o Galo perdeu o título para o Fluminense e terminou com o vice.

Dos 14 campeões simbólicos do primeiro turno, o título do Brasileiro não foi ratificado apenas três vezes. Além do próprio Atlético-MG (2012), o Internacional (2009) e o Grêmio (2008) foram as equipes que deixaram o nacional escapar pelos dedos.

Fator casa?

MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Jadson abriu o placar na vitória Palmeiras 0 a 2 Corinthians, no Allianz Parque, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro

O primeiro turno do Campeonato Brasileiro 2017 também mostrou que o fator campo não tem sido tão decisivo. Em 189 partidas (o jogo Ponte Preta x Fluminense foi adiado para 09/08), os visitantes venceram 59.

O Atlético-MG é a prova de que o Horto já não bota mais medo nos adversários. O Galo disputou dez partidas em casa, com seis derrotas, dois empates e apenas duas vitórias. Vale lembrar que o último revés 0 a 2 ante o Corinthians, na 18ª rodada, foi no Mineirão.

Já o Corinthians é a equipe mais indigesta fora de casa. Em nove partidas, a equipe de Carille venceu sete e empatou duas.

Dança dos técnicos

Dorival Júnior assumiu o comando do São Paulo no lugar de Rogério Ceni

Não faltaram técnicos demitidos durante esse primeiro turno do Brasileirão. Ao todo, foram 15 demissões, cinco delas aconteceram numa única rodada, a 15ª. A marca já é bem próxima ao número de demitidos em todo o Campeonato de 2012 (20) e apenas nove abaixo ao recorde de 29 trocas em 2016. Destes 15 técnicos que pegaram o boné, apenas Dorival Júnior e Vágner Mancini conseguiram voltar ao comando de outro time na Série A. Dorival saiu do Santos e assumiu o São Paulo. e Mancini trocou a Chape pelo Vitória.

Mas as mudanças até que fizeram bem para algumas equipes. É o caso de Vanderlei Luxemburgo, que pegou o Sport na 15ª colocação e colocou o time na disputa por uma vaga na Libertadores. Já outros não têm encontrado tanta facilidade, como Dorival Júnior, que continua na zona de rebaixamento com o São Paulo.

Os remanescentes

Com a demissão de Zé Ricardo, do Flamengo, ao fim desta 19ª rodada, apenas nove treinadores se mantiveram em seus cargos desde a primeira rodada. Três deles estão no G4 (Fábio Carille, Renato Gaúcho e Cuca), mas quem merece o título de “sobrevivente” é Claudinei Oliveira, que segue no Avaí, mesmo com o time durante boa parte do Campeonato dentro do Z4.

Desespero Tricolor

LÉO PINHEIRO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

São Paulo tem apenas 19 pontos e ocupa a 17ª colocação no Campeonato Brasileiro

O primeiro turno do Brasileirão 2017 pode ter sido traumático para os são-paulinos. Foram apenas 19 pontos conquistados em 19 jogos, que deixaram o time na zona da degola. Mas, se existe algo que serve de alento para os torcedores do Tricolor são os exemplos de times grandes que conseguiram se salvar na segunda metade da competição.

Desde quando os pontos corridos foram adotados no campeonato nacional, na temporada 2003, em apenas quatro oportunidades os grandes não conseguiram se recuperar no segundo turno e acabaram caindo para a Série B: Atlético-MG (2005), Vasco duas vezes (2008 e 2015), e Palmeiras (2012).

Flamengo (2004), Corinthians (2006), Santos (2008), Fluminense (2008 e 2009), Atlético-MG (2010 e 2011), Cruzeiro (2016) e o próprio São Paulo (2005 e 2013), já terminaram o turno na zona do rebaixamento e conseguiram a redenção no returno.

Em 2005, quando o Brasileirão ainda era disputado por 22 times, o São Paulo, então tricampeão da Libertadores, fechou o primeiro turno na zona da degola, com 21 pontos somados. No entanto, o time que se sagraria tricampeão mundial, conseguiu se recuperar e finalizou o nacional na 11ª posição, com 58 pontos conquistados.

Já em 2013, o Tricolor encerrou a primeira parte do campeonato na 17ª posição, com 18 pontos. Daquela vez, um dos responsáveis por salvar o São Paulo, foi Muricy Ramalho, que retornou e levou o clube aos 50 pontos na nona posição.

Confira o grandes que terminaram o primeiro turno no Z4:

2017 – São Paulo (19 pontos)

2016 – Cruzeiro (19 pontos)

2015 – Vasco (13 pontos)*

2013 – São Paulo (18 pontos)

2012 – Palmeiras (16 pontos)*

2011 – Atlético-MG (11 pontos)

2010 – Atlético-MG (17 pontos)

2009 – Fluminense (15 pontos)

2008 – Vasco (19 pontos)*, Santos (17 pontos) e Fluminense (16 pontos)

2006 – Corinthians (20 pontos)

2005 – São Paulo (21 pontos) e Atlético-MG (16 pontos)*

2004 – Flamengo (20 pontos)

*Equipes que caíram ao final do torneio

Show dos veteranos

ANDRÉ FABIANO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Aos 36 anos, Luís Fabiano integra o top 10 dos artilheiros com cinco gols marcados

Os experientes também merecem destaque neste Brasileirão. Entre os 10 artilheiros do Campeonato, sete já passaram dos 30 anos. Quem puxa fila é Jô, do Corinthians, que já marcou 11 gols. Do vice-goleador ao quarto jogador que mais marcou estão os “novinhos” da lista: Henrique Dourado, Lucca e André. Daí em diante só veteranos balançando as redes: Fernandinho, Diego Souza, Thiago Neves, Roger, Luís Fabiano e Fred.

Se por um lado, os goleadores mostram que a experiência pesa a favor, o mesmo não se pode dizer dos treinadores. Dos 20 técnicos, apenas quatro estão abaixo da casa dos 45 anos: Fábio Carille-Corinthians (43), Jair Ventura-Botafogo (38), Preto Casagrande-Bahia (42) e João Paulo Sanches-Atlético-GO (37).

Goleiros decisivos

Lucas Baptista / Futura Press / Estadão Conteúdo

Paredão, Vanderlei é o segundo goleiro menos vazado com apenas 13 gols sofridos

Apesar de o Campeonato já ter visto algumas goleadas e placares elásticos, os goleiros merecem destaque nestas 19 rodadas. É o caso do Cássio, que só sofreu nove gols em todo o primeiro turno, e de Vanderlei, que não só ajudou o Santos a ser a segunda defesa menos vazada (13 gols sofridos) como salvou a a equipe santista em várias oportunidades.